Política 11/07/2022 18:39

Como evitar conflitos sobre política na empresa em tempos de eleição

As eleições estão chegando e as discussões sobre candidatos e política podem trazer conflitos. Veja o que a liderança pode fazer para acalmar os ânimos

Com a proximidade das eleições, as discussões sobre política tendem a ficar mais frequentes, seja no almoço de família, seja no grupo da  firma.

“Já presenciei desde debates elegantes até gritaria com cada um defendendo o seu candidato”, diz a especialista em Comunicação Corporativa, Juliana Algodoal, sobre o que tem visto nas empresas em tempos de polarização política.

Para manter a harmonia, evitar a proliferação de fake news nos grupos de Whatsapp e reduzir os problemas de relacionamento dentro do ambiente corporativo, há algumas atitudes que as lideranças das empresas podem adotar neste momento.

A ideia não é censurar, mas direcionar os ânimos para conversas que enriqueçam em vez de causar cisões.

“Criar regras pode parecer autoritário demais, mas é preciso que o líder repasse os posicionamentos da empresa quanto à sua participação em campanhas políticas.”

Estabelecer espaço para conversas sobre política (e isso não quer dizer falar de partidos ou candidatos, mas de um debate mais amplo) pode ser um bom caminho.

“Algumas empresas combinam hora e lugar para conversas educativas, o que é muito importante”, sugere Algodoal. Há plataformas apartidárias de educação política, como a Politize-se, que tem conteúdo neutro sobre o assunto e podem ajudar os profissionais a terem mais consciência sobre sua participação na sociedade, por exemplo.

Veja aqui as dicas de Juliana Algodoal para manter a paz corporativa durante a campanha eleitoral, que começa no próximo mês.

“Para o líder, é fundamental estar preparado para contornar desavenças que prejudicar o clima na empresa.”

Conheça e divulgue as regras da companhia sobre apoios políticos. “É necessário que a empresa deixe claro como enxerga o assunto e sua postura. Ela não precisa assumir um candidato, só ter regras claras sobre o que é aceitável”, diz Algodoal.

Conflitos por conta de candidatos não são o único jeito de falar de política. O líder pode transformar essa energia em debates sobre ideias – e isso é enriquecedor. “É necessário promover a consciência política e o entendimento de que política vai além dos políticos. Que é algo que permeia nossa vida de diversas maneiras.”

Quando se trata de porta-vozes, contratar profissionais de media training pode ser um investimento importante para que a empresa controle melhor as mensagens que irão chegar ao público.

Respeitar as diferenças de ideias e estar sempre atento para nunca invadir a liberdade de expressão de ninguém – desde que cada um respeite também os limites e regras da empresa.

Não use seu cargo para influenciar seus liderados a votar nesse ou naquele candidato.

É bom lembrar que pessoas que ocupam cargos de liderança em uma empresa são muito mais que um CPF. Representam um CNPJ e sua conduta com a equipe também pode revelar o comportamento da própria empresa. Isso se aplica a entrevistas para imprensa e posts nas redes sociais.

Deu em Forbes

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista