Câmara Municipal 30/03/2022 05:33

Câmara sabatina secretária da STTU sobre situação do transporte público de Natal

"Até o final dessa semana receberemos a minuta deste edital, para podermos enviar à Procuradoria Geral do Município, que depois remeterá para finalização na Comissão de Licitação e o edital, enfim, ser publicado. Por se tratar de uma concorrência pública, faz-se necessário 45 dias para que as empresas possam apresentar suas propostas. Dito isso, estamos falando aqui de mais ou menos 105 dias até o processo todo acontecer". 

A sessão ordinária desta terça-feira (29), da Câmara Municipal de Natal, teve como destaque uma sabatina à secretária de Mobilidade Urbana (STTU), Daliana Bandeira, que respondeu a questionamentos de vereadores e vereadoras e prestou esclarecimentos sobre os problemas do transporte público na capital potiguar.

O pedido foi feito pelo presidente da Comissão de Transportes, vereador Milklei Leite (PV).

Daliana Bandeira informou que o edital da licitação está na fase final de preparação.

“Até o final dessa semana receberemos a minuta deste edital, para podermos enviar à Procuradoria Geral do Município, que depois remeterá para finalização na Comissão de Licitação e o edital, enfim, ser publicado. Por se tratar de uma concorrência pública, faz-se necessário 45 dias para que as empresas possam apresentar suas propostas. Dito isso, estamos falando aqui de mais ou menos 105 dias até o processo todo acontecer”.

Sobre a retirada das linhas de ônibus, a titular da STTU afirmou que a orientação para as empresas é que evitem o cancelamento dos itinerários.

“Apesar das nossas solicitações, algumas linhas foram devolvidas, mas estamos trabalhando no sentido de suprir esta falta de atendimento a partir de outras linhas que já existem, com adequações nos percursos, para que os usuários não fiquem sem o serviço”, justificou.

“Hoje tivemos a oportunidade de esclarecer algumas dúvidas acerca dos desafios da mobilidade urbana em nossa cidade. Porém, continuamos sem respostas para a questão da licitação dos transportes. Segundo a secretária, haverá um prazo para o processamento dos trâmites legais que pode chegar até julho ou agosto. Ou seja, não há uma data definida para a realização da licitação”, observou o vereador Milklei Leite.

“Diante desse cenário de incertezas, o Legislativo natalense continuará buscando informações para explicar à sociedade tudo que envolve a licitação dos transportes de Natal, pois acreditamos que é esta a iniciativa que poderá de forma definitiva regulamentar, garantir mais ônibus, criar novas linhas e melhorar a qualidade dos serviços”, acrescentou.

O vice-presidente da Comissão de Transporte, vereador Anderson Lopes (SDD) reforçou a importância da licitação para a melhoria da mobilidade urbana no município.

“O clamor da população é por um transporte público melhor para todos. E isso só vai acontecer quando a licitação sair do papel e a STTU encaminhar para esta Casa o Plano Municipal de Mobilidade Urbana, além de uma fiscalização mais eficiente dos registros de passageiros que usam os ônibus no dia a dia”.

“Uma proposta interessante para solucionar os transtornos gerados pela retirada de algumas linhas pode ser os alternativos no lugar a fim de garantir a oferta.

A secretária Daliana Bandeira disse que é uma medida inviável por fatores econômicos, todavia, não acho possível rejeitar isso sem antes fazer um teste. Então, chama os alternativos e coloca para rodar nas linhas que o Seturn entregou. Se realmente for inviável, os próprios operadores do transporte opcional comunicarão à secretaria”, defendeu.

A vereadora Divaneide Basílio (PT), por sua vez, também falou sobre a retirada das linhas, que é um dos motivos de maior reclamação nas comunidades.

“Ao mesmo tempo que o Seturn informa que retirou linhas por serem deficitárias por não darem lucro, temos trabalhadores e estudantes na cidade inteira com dificuldades para se transportar por falta de linhas. Portanto, precisamos de ações emergenciais e informações concretas. Deixo a seguinte pergunta: se os usuários estão sentindo falta das linhas, elas são deficitárias para quem?”.

Fonte: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista