Redes Sociais 19/03/2022 11:05

Telegram ao STF: “Pedimos desculpas por nossa negligência”; veja carta completa de Durov

“Em nome da minha equipe, peço desculpas à Suprema Corte brasileira por nossa negligência. Nós, definitivamente, poderíamos ter feito um trabalho melhor”, afirmou Durov, em seu canal no Telegram. O empresário atribuiu a falta de contato ao fato de o STF enviar seus comunicados para uma conta geral de e-mail da empresa.

Pavel Durov, um dos criadores e CEO do Telegram, usou sua própria conta no serviço de mensagens para se desculpar pela falta de contato com o Supremo Tribunal Federal (STF) e para pedir mais tempo para cumprir a determinação de remover perfis que utilizam o aplicativo para espalhar fake news.

Foi a primeira manifestação oficial de um alto executivo do Telegram, após o ministro Alexandre de Moraes determinar, na tarde desta sexta-feira (18), o bloqueio do aplicativo no Brasil.

“Em nome da minha equipe, peço desculpas à Suprema Corte brasileira por nossa negligência. Nós, definitivamente, poderíamos ter feito um trabalho melhor”, afirmou Durov, em seu canal no Telegram. O empresário atribuiu a falta de contato ao fato de o STF enviar seus comunicados para uma conta geral de e-mail da empresa.

Veja a íntegra da mensagem de Durov em seu canal no Telegram

“Parece que tivemos um problema com e-mails entre nossos endereços corporativos telegram.org e a Suprema Corte brasileira. Como resultado desse desencontro de comunicação, a Corte determinou banir o Telegram por estar sem resposta.

Em nome da minha equipe, peço desculpas à Suprema Corte brasileira por nossa negligência. Nós, definitivamente, poderíamos ter feito um trabalho melhor.

Cumprimos uma decisão judicial anterior em fevereiro passado e respondemos com uma sugestão para que enviassem futuros requerimentos de remoções para um endereço de e-mail dedicado. Infelizmente, nossa resposta deve ter se perdido, porque a Corte utilizou o velho e-mail geral nas tentativas posteriores de nos contatar. Como resultado, perdemos sua decisão do começo de março que envolvia uma nova requisição de remoção. Por sorte, a encontramos agora e a processamos, entregando outro relatório à Corte hoje.

Pelas dezenas de milhões de brasileiros que confiam no Telegram para se comunicar com sua família, amigos e colegas, eu peço para que a Corte considere um adiamento de sua determinação por alguns dias, a seu critério, para nos permitir remediar a situação, por meio da designação de um representante no Brasil, e para estabelecer uma estrutura para reagir a futuros problemas urgentes, como este, de um modo rápido.

As últimas 3 semanas foram sem precedentes para o mundo e para o Telegram. Nossa equipe de moderação de conteúdo foi inundada por requisições de múltiplos lugares. Contudo, estou certo de que, uma vez estabelecido um canal confiável de comunicação, seremos capazes de processar eficientemente os pedidos de remoção de canais públicos que sejam ilegais no Brasil.”

Deu em Money Times

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista