Animais 27/01/2022 09:46

Biólogos chineses de Wuhan detectam novo tipo de coronavírus em morcegos na África do Sul

O coronavírus SARS-CoV-2, que provocou a pandemia de COVID-19, também usa ACE2 para entrar no corpo.

Biólogos chineses da Universidade de Wuhan informaram sobre a detecção do coronavírus NeoCoV em morcegos na África do Sul e, segundo suas estimativas, o vírus pode se propagar entre os humanos.
NeoCoV é um “parente” próximo do coronavírus MERS-CoV que provoca a síndrome respiratória do Oriente Médio.
Segundo os cientistas chineses, o coronavírus identificado na África do Sul pode ter princípios de penetração celular semelhantes aos do SARS-CoV-2 e ser potencialmente perigoso para humanos. O estudo está disponível no portal bioRxiv.
A maioria dos pesquisadores chineses trabalha na Universidade de Wuhan, local onde foram descobertos os primeiros casos de infecção por SARS-CoV-2 no final de 2019.
Embora tenha sido detectado em morcegos, os cientistas observam que o vírus tem um potencial latente de mutação e como resultado tem capacidade de penetrar não só em células de animais, mas também nos seres humanos.
“Neste estudo detectamos inesperadamente que o NeoCoV e seu parente próximo PDF-2180-CoV podem usar eficazmente alguns tipos da enzima conversora de angiotensina 2 [ACE2, receptor através do qual alguns coronavírus entram no corpo] de morcegos e […] da ACE2 de humanos para entrar [no organismo]”, apontam cientistas.
O coronavírus SARS-CoV-2, que provocou a pandemia de COVID-19, também usa ACE2 para entrar no corpo.
Os pesquisadores afirmaram que o comportamento do vírus precisa ser cuidadosamente monitorado.
Eles enfatizaram, no entanto, que a natureza do NeoCoV ainda não foi suficientemente estudada.
Deu em Sputnik Brasil
Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista