Vacina 03/09/2021 08:30

Covid-19: Saúde distribuirá 16 milhões de doses da vacina até o fim de semana

Ministério da Saúde enviará aos estados e ao Distrito Federal 10,4 milhões de imunizantes da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, e 5,6 milhões de lotes da Pfizer

Ministério da Saúde anunciou, na noite desta quinta-feira (2/9), a distribuição de 16 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até o fim de semana.

A pasta enviará aos estados e ao Distrito Federal 10,4 milhões de imunizantes da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, e 5,6 milhões de lotes da Pfizer.

A distribuição em massa vai acelerar ainda mais o ritmo de vacinação no país. O Brasil já ultrapassou os Estados Unidos em percentual de vacinados: 61,96% dos brasileiros receberam uma dose do imunizante, segundo dados do consórcio de veículos da imprensa, enquanto 60,96% dos estadunidenses estão na mesma condição.

De acordo com o Ministério da Saúde, já são 192.075.392 vacinas aplicadas, entre primeira (130.440.173) e segunda (61.796.738) doses. Descubra o ritmo de vacinação do seu estado aqui.

#ValeLembrar: mesmo vacinado, é preciso manter os cuidados para minimizar o risco de contágio da covid-19 e evitar uma infecção.

Com vacinas, governadores tem relaxado medidas de prevenção

O aumento da cobertura vacinal tem impulsionado a extinção de medidas rígidas de prevenção adotadas pelos governadores do país.

Em 17 de agosto, João Doria (PSDB) encerrou as restrições de horários e limite de ocupação do comércio e outras atividades econômicas. No entanto, na quarta-feira (1/9), a capital passou a exigir o passaporte de vacina, o comprovante de que tomou alguma dose para entrar em eventos grandes e até mesmo em alguns restaurantes.

Nesta quinta-feira (2/9), foi a vez de o Distrito Federal derrubar as restrições. O governador Ibaneis Rocha (MDB) suspendeu o toque de recolher, que era à 1h, e liberou o funcionamento do setor econômico de acordo com o alvará de funcionamento de cada estabelecimento.

Shows com grande número de pessoas e que demandam venda de ingressos continuam proibidos. Mas casamentos, batizados, aniversários e reuniões de família, por exemplo, estão autorizados a serem realizados sem restrição de horários.

Deu no Correio Braziliense
Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista