Comércio 29/11/2017 05:34

Compras de final de ano devem crescer, revela pesquisa da Fecomércio

Seis em cada dez natalenses (64,1%) irão às compras neste final de ano, um aumento de 3,9 pontos percentuais em comparação ao mesmo período de 2016 (60,2%).

Seis em cada dez natalenses (64,1%) irão às compras neste final de ano, um aumento de 3,9 pontos percentuais em comparação ao mesmo período de 2016 (60,2%).
Este e outros dados foram coletados no levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio da Fecomércio RN (IPDC/Fecomércio RN), que também pesquisou sobre o destino do 13º salário dos trabalhadores de Natal.
Dos consumidores natalenses entrevistados e que terão direito ao 13º salário em 2017, boa parte deles (54,6%) já tem destino certo para essa renda extra, que é sanar dívidas assumidas durante o ano.
De acordo com a pesquisa do IPDC/FecomércioRN, o índice representa um aumento de 3,4 pontos percentuais no número de trabalhadores com esse objetivo, na comparação com o ano passado.
Além disso, 26,7% dos assalariados entrevistados disseram que devem poupar ou investir o dinheiro, número maior do que o registrado em 2016, quando 19,9% dos entrevistados deram essa resposta.
Logo em seguida, aparecem os que pretendem usar o dinheiro extra para as compras de final de ano, com 12,6%; em 2016, o número era de 16%.
Sobre os gastos de final de ano, os consumidores argumentam que vão ao comércio impulsionados pelas razões culturais e pela tradição de presentear e trocar artigos.
O valor médio que os consumidores pretendem gastar nas compras é de R$ 281,23, um aumento de 2,8% em relação ao ano passado.
Os produtos mais citados como opção de compra são os itens de Vestuário (52,2%); Brinquedos (22,4%); Perfumes e Cosméticos (20,1%); Calçados (13,9%); Eletrônicos/Celulares (9,3%); Eletrodomésticos (4,6%); Relógios/joias/bijuterias (3,1%); entre outros.
O levantamento da Fecomércio RN indica que 30,1% dos entrevistados demonstraram interesse em comprar apenas um produto.
Os mais presenteados serão as mães (45,5%); seguidos pelos filhos (39,3%); cônjuges (36,2%); pai (28,5%); namorados (as) (11,8%); sobrinhos (10%); irmãos (9%); amigos (4,9%); netos (4,4%) e avós (2,3%).
Mesmo com o aumento da intenção de compras atrelada ao aumento do ticket médio, quase 80% dos natalenses irão realizar pesquisa, sendo o preço (44,2%) o principal motivador na hora de fechar negócio.
Em seguida aparece a diversidade de produtos (25,2%); a proximidade de casa ou trabalho (14,7%); o conforto do ambiente (9,8%); a segurança do local (7,2%); e a acessibilidade (4,4%) como fatores que podem influenciar o cliente.
A pesquisa apontou ainda que para conquistar esse consumidor, o empresário deve investir em promoções (citadas como diferencial por 59,3% dos entrevistados); descontos (48,2%); atendimento (38,6%); facilidade de pagamento (14,4%); divulgação (8%); variedade (5,2%) e qualidade dos produtos (3,9%).
Fonte: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista