Economia 16/07/2022 09:39

Medidas do Governo animam mercado para o segundo semestre, diz jornais

No entanto, paralelamente à melhora prevista para 2022, ocorre uma piora das estimativas para 2023.

Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo relatam que as medidas do governo de combate à inflação e estímulo à atividade econômica a poucos meses das eleições têm provocado uma onda de otimismo para o segundo semestre, com revisão para cima das projeções de crescimento do PIB e para baixo da inflação neste ano.

No entanto, paralelamente à melhora prevista para 2022, ocorre uma piora das estimativas para 2023.

Na visão de analistas, é como se o governo Bolsonaro estivesse antecipando o crescimento previsto para o ano que vem, deixando uma herança maldita para quem assumir o país em 1º de janeiro.

Essa dinâmica aparece inclusive nas projeções do próprio Ministério da Economia, que revisou para baixo a projeção de inflação neste ano, de 7,9% para 7,2%, e elevou a estimativa do crescimento do PIB, de 1,5% para 2%.

Ao mesmo tempo, para 2023, a projeção para a inflação subiu de 3,6% para 4,5%, enquanto a do PIB foi mantida em 2,5%.

Deu no Portal da CNC

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista