TelevIsão 06/06/2022 08:00

Banqueiro ligado a Bolsonaro e Guedes quer comprar SBT

A oferta dele já foi feita a interlocutores, responsáveis por discutir o tema a mando de Silvio Santos e gira em torno de R$ 1 bilhão.

O banqueiro André Esteves, dono da BTG Pactual e profundamente ligado ao governo de Jair Bolsonaro (PL) e ao ministro da Economia Paulo Guedes, está interessado em comprar o SBT.

A oferta dele já foi feita a interlocutores, responsáveis por discutir o tema a mando de Silvio Santos e gira em torno de R$ 1 bilhão.

Segundo apuração do DCM, Esteves já teria dito a aliados que precisa comprar uma emissora de televisão se quiser manter seu plano de influência.

Como banqueiro, na visão dele, o alcance é limitado a economistas e áreas específicas do governo, mas o que é decidido mesmo, ocorre através de pressão da mídia, por isso a importância de deter um veículo de comunicação.

A oferta ao SBT partiu depois que o banqueiro soube, por interlocutores, que a emissora estava a venda.

De fato, Silvio Santos autorizou algumas pessoas a sondarem o mercado sobre o valor que poderia pagar pelo canal, mas nada de concreto. Nos bastidores da empresa entende-se que é só mais uma excentricidade do artista e que ele não pretende concretizar a venda.

Por outro lado, há quem garanta que Silvio não quer morrer sem vender o SBT porque a emissora não costuma dar lucro, quando comparada ao grupo inteiro e que poderia ser um problema para as herdeiras.

Diante disso, Esteves fez uma proposta extraoficial na casa do R$ 1 bilhão, confirmam fontes ligadas ao SBT. A oferta não desagradou Silvio Santos, que não deu resposta definitiva sobre o tema.

O banqueiro é velho conhecido de Silvio Santos, já que ajudou o empresário-artista num momento delicado. Foi ele quem comprou o Banco Pan-Americano no auge da crise e que fez com que Silvio quase decretasse falência.

Mas André Esteves é mais que isso. O banqueiro é muito próximo a Bolsonaro, a ponto de ter dito que o presidente será reeleito.

Além disso, o dono da BTG já aconselhou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP) e o próprio ministro da economia, Paulo Guedes.

Deu no DCM

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista