Forças Armadas 24/03/2022 18:30

Erro de cálculo criou submarino que afunda como pedra

Uma falha no projeto para a construção de quatro novos submarinos encomendados pela marinha espanhola a um custo de 2,2 bilhões de euros fez com que a embarcação ficasse cerca de 100 toneladas mais pesada do que deveria. Isso faria o submarino afundar como pedra, sem conseguir emergir à superfície.

Se você pensa que um simples erro de cálculo não pode causar muitos estragos, preste atenção nessa história!

Uma falha no projeto para a construção de quatro novos submarinos encomendados pela marinha espanhola a um custo de 2,2 bilhões de euros fez com que a embarcação ficasse cerca de 100 toneladas mais pesada do que deveria. Isso faria o submarino afundar como pedra, sem conseguir emergir à superfície.

Segundo um antigo diretor do Gabinete de Avaliação Estratégica do Ministério da Defesa espanhol, alguém havia colocado um ponto decimal no lugar errado, e “ninguém prestou atenção para rever os cálculos”. “Foi um erro fatal”, afirmou Rafael Bardaji à Associated Press, em 2013.

A Navantia, empresa estatal responsável pela construção, admitiu a existência de “desvios relacionados ao equilíbrio do peso” no navio.

A falha causou um enorme prejuízo ao governo espanhol em um dos contratos mais caros da história militar do país.

Para resolver a questão, o Ministério da Defesa espanhol contratou, por 14 milhões de euros, a consultoria americana Electric Boat. A empresa concluiu que o problema na flutuação seria resolvido aumentando o comprimento de cada um dos quatro submarinos em dez metros, a um custo de 7,5 milhões de euros por metro.

O projeto original da Navantia era para uma embarcação de 71 metros e deslocamento de 2.200 toneladas. Agora, o S-80 é um submarino de 81 metros e 3.000 toneladas.

Calma que a dor de cabeça ainda não acabou! Depois de pronto, chegou-se à conclusão de que as embarcações não caberiam nas docas da base naval de Cartagena, onde foram construídas, já que o espaço foi projetado para submarinos com um comprimento máximo de 78 metros. Com mais um problema, vieram mais gastos.

O projeto de adaptação das docas custou mais 16 milhões de euros.

Depois de seis anos de atraso e uma conta que saltou de 2,2 bilhões para 3,9 bilhões de euros após as modificações necessárias, o submarino Isaac Peral S-81, primeiro da classe S-80, foi lançado oficialmente no ano passado.

A embarcação passa por teste e a expectativa é que seja entregue à Marinha no início de 2023.

Com toda essa confusão causada por um erro de cálculo, os espanhóis certamente aprenderam a checar duas vezes a vírgula antes de dar andamento à construção de um projeto!

Fonte: Impa/Naval

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista