Alimentos 04/03/2022 11:00

Quem quer pão? Setor de panificação movimenta R$ 105 bilhões por ano no Brasil

Os números deixam claro a paixão nacional pelo pãozinho nosso de cada dia; conheça aqui a história de como a padaria transformou a vida de muita gente e tornou-se obrigatória de norte a sul do país

Pão francês, pão de sal, pão de água, carioquinha, pão de trigo e até pão “careca”. São inúmeros os nomes encontrados Brasil afora só para um tipo de pão – aquele vendido diariamente em padarias espalhadas pelo país. Quem os vê hoje tão fofinhos, com casquinhas crocantes e miolos macios nem imagina que as primeiras receitas, lá de 12.000 a.C., não tinham nada disso.

Diz a história que, naquela época, os pães eram feitos misturando a recém-criada farinha de trigo com bolota, um fruto do carvalho. A massa, então, era lavada em água fervente inúmeras vezes e assada na pedra quente ou sob as cinzas. O resultado era um pão seco, achatado e com sabor bastante amargo.

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista