Religião 10/12/2021 18:20

Sacerdote rouba de fiéis para comprar drogas e vai preso na Itália

Francesco Spagnesi recebeu sentença de três anos e oito meses de prisão; caso envolve orgias gays durante a pandemia

Um sacerdote da Igreja Católica italiana foi condenado a três anos e oito meses de prisão por roubar dinheiro de fiéis para financiar orgias gays regadas a drogas durante a pandemia do novo coronavírus.

Após acordo com a Justiça, o religioso deve ter a sentença convertida em programas de reabilitação, para tratar o vício.

Segundo o portal argentino Infobae, o sacerdote Francesco Spagnesi, de 40 anos, foi acusado de causar lesões graves a diversos parceiros sexuais após ter transmitido doenças a eles.

O religioso tinha conhecimento das enfermidades, mas não falava sobre elas às pessoas envolvidas nas orgias que organizava na igreja.

O parceiro de Spagnesi, Alessio Regina, foi condenado por compra e venda de drogas. Ele tentará converter a pena em trabalhos comunitários.

As orgias organizadas por Spagnesi e Regina eram repletas de cocaína e GBL. O narcótico teria sido comprado na Holanda, com dinheiro da Igreja Católica.

As festas sexuais do sacerdote chegaram a reunir cerca de 200 participantes – as pessoas eram convocadas pela internet. Spagnesi confessou que o número médio de participantes era de 20 a 30 indivíduos, dos quais ao menos dois eram soropositivos.

Os encontros para orgia ocorriam semanalmente desde 2019, quando as drogas passaram a ser importadas da Holanda. O sacerdote afirmou que todas as relações eram consentidas e com a utilização de preservativo, o que foi desmentido por pelo menos 15 testemunhas.

Estima-se que Spagnesi tenha roubado 200 mil euros (R$ 1,2 milhão) da Igreja Católica nos últimos dois anos. A diocese de Prato, na Itália, retirou Spagnesi da paróquia e o suspendeu das funções sacerdotais.

Deu em R7

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista