Segurança 09/12/2021 09:19

Quem diria: Freixo acusado de manter milícia para Segurança Pessoal

Para Rodrigo Amorim 8 dos polícias penais que fazem a segurança de Marcelo Freixo estão irregulares e já custaram R$ 1 milhão desde 2019

O deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL) revelou nesta quarta-feira (8/12) que o deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) mantém em sua equipe de segurança oito policiais penais sem a devida concessão formal por parte do governo do Estado.

Os policiais penais foram solicitados por Freixo quando ainda era deputado estadual, em 2018, e exonerados em janeiro do ano seguinte – mas jamais foram devolvidos à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), onde são lotados e por onde recebem salário.

Segundo cálculos do gabinete de Amorim, o Estado do Rio já gastou mais de R$ 1 milhão com estes policiais desde o começo do mandato de Freixo, em fevereiro de 2019.

Freixo mantém equipes de segurança desde a época em que criou a CPI da Milícia na Assembleia Legislativa, também nos tempos de deputado estadual.

A descoberta desta situação irregular se deve a denúncias anônimas feitas ao gabinete de Amorim, que imediatamente solicitou as informações devidas à Secretaria de Administração Penitenciário do Estado (SEAP).

O órgão já enviou mais de 100 páginas como resposta, confirmando a situação irregular. De acordo com a Seap, Freixo não respondeu a ofícios enviados para a Câmara sobre a questão.

É estarrecedor que um parlamentar que construiu sua vida em cima de uma falácia como o seu combate às milícias tenha uma equipe de policiais irregulares em sua segurança – diz Amorim. – E cabe lembrar que ele pertence ao grupo de parlamentares que estão sempre dispostos a atacar a polícia ao primeiro erro que aconteça. Será que agora o deputado Freixo será cobrado por esta aberração? – questiona.

O conceito de “milícia” é esse: homens armados, à revelia do Estado, e a serviço de um interesse pessoal e privado – diz o deputado estadual, que pretende ir ao Ministério Público para fazer a denúncia formal.

Quem dá as garantias para esses profissionais de segurança trabalharem? E se forem feridos, qual a proteção social deles? E caso aconteça de ferirem alguém, ainda que em legítima defesa, como funcionaria essa questão? Duvido que o nobre deputado se responsabilizasse, certamente lavaria as mãos – reclama Amorim.

O parlamentar também pretende convocar o próprio Freixo para a Comissão do Servidor Público da Alerj, da qual é presidente.

– Quero garantir os direitos desses policiais penais que estão sendo colocados numa situação extrema. Podem até ser expulsos da Seap por causa de uma negligência do deputado.

Deu em Diário do Rio

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista