Educação 01/08/2021 09:31

Volta às aulas: especialistas explicam em 10 pontos como fazer um retorno mais seguro

A ventilação dos ambientes, assim como o uso de máscaras adequadas e o distanciamento devem ser os principais fatores de atenção dos pais e responsáveis, segundo os especialistas ouvidos pelo G1.

A volta às aulas das redes pública e privada e do ensino superior podem acontecer no modo presencial a partir da segunda-feira (2) em algumas cidades.

Para evitar que a transmissão do coronavírus aumente com o reinício das aulas, o G1 conversou com especialistas para entender quais os cuidados necessários para um retorno seguro.
Apesar dos avanços da vacinação no país, a imunização em menores de 18 anos de idade ainda não começou.

Segundo Marcelo Otsuka, infectologista e coordenador do Comitê de Infectologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), é fundamental que tanto pais quanto as pessoas que trabalham na escola, saibam os cuidados que cada um deve ter.

“É importante a gente entender que não é porque vamos voltar às aulas que as medidas de segurança sanitária serão relaxadas”, afirma Otsuka.

Para o doutor em engenharia biomédica e pesquisador na Universidade de Vermont, nos Estados Unidos, Vitor Mori, o retorno presencial às aulas já é uma realidade. Logo, a discussão precisa evoluir e não mais questionar se a volta deveria ou não ser autorizada, mas sim como fazê-la com segurança.

“Discutir as formas de retornar às aulas de maneira segura é fundamental. Muitas crianças dependem da escola para alimentação, segurança ou mesmo para continuar com os estudos, já que nem todos têm acesso à internet”, afirma Mori.

Nesta reportagem, veja as respostas para as seguintes questões:
A quais protocolos de segurança adotados pelas escolas os pais devem ficar atentos antes de decidir autorizar ou não o retorno presencial de seus filhos?

Em quais casos os pais não devem enviar os filhos às escolas?

Qual máscara os estudantes, no geral, devem utilizar?
Escalonamento das turmas é uma boa ideia?
Como deve ser organizado o intervalo/ hora do recreio?
Qual o distanciamento seguro contra o vírus?
Devo me preocupar com a transmissão do vírus ao tocar em maçanetas, mesas e cadeiras?
Quais devem ser os cuidados sanitários, caso o estudante queira ir ao banheiro?
Devo me preocupar caso o estudante toque em uma superfície contaminada e, em seguida, leve a mão ao rosto?
Utilizar álcool gel é importante?

Deu em G1

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista