Governo do Estado 01/07/2021 08:38

Obras complementares da Biblioteca Câmara Cascudo chegam a 20% de execução

Serviços como climatização e de combate ao incêndio estão em curso com o investimento de R$ 280 mil via Governo Cidadão

A governadora Fátima Bezerra, acompanhada do vice-governador Antenor Roberto, vistoriou a obra complementar ao restauro da Biblioteca Câmara Cascudo.

A inspeção à execução, que está 20% concluída, ocorreu nesta quarta-feira (30) com o secretário estadual de Gestão de Projetos e coordenador do Governo Cidadão, Fernando Mineiro, e o diretor presidente da Fundação José Augusto (FJA), Crispiniano Neto.

“Estamos acompanhando de perto mais uma obra importante de nosso governo. Não podemos conceber que um equipamento como a Biblioteca Câmara Cascudo, com toda sua importância, esteja sem funcionar. Essa realidade tem data para mudar e fará parte do passado. Em outubro deste ano, a biblioteca estará pronta para uso”, destacou a governadora Fátima Bezerra, que tem em sua história de vida, como professora e política, a luta por uma educação libertadora e democrática, tendo garantido a Política Nacional de Leitura e Escrita, por meio da Lei 13.696/2018, de sua autoria enquanto senadora e que foi sancionada sem vetos.

Equipamento de alta relevância cultural e educacional, a biblioteca já havia passado por uma reforma estrutural no governo anterior, mas sem as atuais obras complementares não havia como colocá-la em operação.

O atual serviço foi necessário para dar condições de funcionamento à biblioteca com a implementação da climatização, da acessibilidade e aparelhagem de combate ao incêndio, além da subestação de energia.

A ordem de serviço para essa etapa de obras foi assinada pela governadora no último dia 21 de maio.

O Executivo estadual investe quase R$ 280 mil, por meio do Projeto Governo Cidadão e da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), com recursos do empréstimo junto ao Banco Mundial.

A WM Empreendimentos e Construções Eireli EPP, empresas responsáveis pela obra e implementação de aparelhos, terão cinco meses para finalizar o trabalho.

“Esse é o resultado do empenho e trabalho integrado da gestão Fátima Bezerra, buscando soluções e dando celeridade às execuções complementares, desde a pesquisa mercadológica à licitação que tiveram de ser feitas novamente”, disse Mineiro que, quando deputado estadual, foi autor da Lei Estadual do Livro (Lei Henrique Castriciano).

Em consonância com Mineiro, Crispiniano Neto deu destaque ao esforço que o Estado dispõe para dar funcionamento aos equipamentos de cultura. “Já entregamos a EDTAM, o Espaço João Paulo II e estamos com obras avançadas no TAM, Pinacoteca e Forte dos Reis Magos, além desta que visitamos hoje. Todos são a prova do compromisso dessa gestão com a cultura e história do povo potiguar”, comemorou.

Agradecendo o empenho do Governo do Estado em restaurar e finalizar obra tão importante, o presidente da Academia Norte-rio-grandense de Letras e membro do Conselho do Iphan, o advogado e professor Diógenes da Cunha Lima, lembrou das palavras do historiador Câmara Cascudo na inauguração da biblioteca homenageada com seu nome.

“Meu mestre e amigo Câmara Cascudo disse que uma biblioteca pode ser tanto um centro dinâmico de cultura, quanto um depósito de livros. Portanto, neste dia especial em que nos encontramos, convoco a todos aqui para fazermos um esforço para que a orientação do nosso patrono seja atendida”, acrescentou Diógenes, emocionado.

Ainda participaram da visita: vereadoras de Natal, Brisa Bracchi, Divaneide Basílio e Ana Paula; a diretora da Biblioteca, Adijinan Araújo; o coordenador Geral de Bibliotecas da FJA, Ailton Medeiros; o representante da Câmara Setorial do Livro e da Leitura, Aluízio Azevedo; a representante do Conselho de Cultura, Eulália Duarte Barros.

BIBLIOTECA CÂMARA CASCUDO

Criada em 08 de abril de 1963 junto à Fundação José Augusto (FJA), foi inaugurada em 1969 sob a gestão de Zila Mamede na Fundação. Em 1970, foi doado o prédio que sediou a Biblioteca, na Rua Potengi, em Petrópolis.

Seu acervo conta com mais de 100 mil exemplares entre livros, revistas, jornais, DVDs, fitas VHS e cassete, CDs e uma hemeroteca com recortes de cerca de 200 assuntos. Os arquivos estão armazenados no prédio da Cidade da Criança, à espera de serem realocados ao seu local de origem.

Fechada desde 2012, teve seu projeto de reestruturação retomado em agosto de 2017, por meio dos recursos do Governo Cidadão, após complicações no contrato das obras anteriores.

Fonte e foto: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista