Pandemia 11/06/2021 08:50

Estudo sobre uso de máscara sairá “o mais rápido possível”, diz Queiroga

Diz que pedido partiu do presidente. Afirma que há “sintonia” no trabalho. Reafirma necessidade de vacinação

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmou nesta 5ª feira (10.jun.2021) que pretende entregar “o mais rápido possível” um estudo sobre a não obrigatoriedade do uso de máscara como medida de proteção da covid.

O ministro disse que recebeu “solicitação para fazer um estudo acerca do uso das máscaras” do próprio Bolsonaro.

“O presidente me pediu que fizesse um estudo para avaliar a situação aqui no Brasil. Então vamos atender essa demanda do presidente Bolsonaro, que está sempre preocupado em pesquisas em relação à covid”, declarou Queiroga, em vídeo divulgado por sua assessoria.

O ministro também afirmou que Bolsonaro está satisfeito com a campanha de vacinação no país. O presidente, segundo ele, observa que países que avançaram na vacinação flexibilizaram o uso das máscaras e pediu um estudo para “avaliar a situação do Brasil”. 

“Presidente está satisfeito com o ritmo da campanha de vacinação no Brasil, da chegada de novas doses e da distribuição de mais de 100 milhões de doses de vacina. Presidente acompanha o cenário internacional e vê que outros países onde a campanha de vacinação já avançou as pessoas já estão flexibilizando o uso das máscaras. Presidente pediu um estudo para avaliar a situação do Brasil.”, declarou no vídeo.

Em entrevista à CNN Brasil, Queiroga afirmou que para flexibilizar o uso de máscaras é preciso “vacinar a população brasileira”. O ministro também disse que não recebe pressão do presidente Jair Bolsonaro.

“Eu sou ministro dele, e nós trabalhamos em absoluta sintonia. É assim que funcionam as democracias, o regime presidencialista. O presidente sempre nos aconselha de maneira muito própria”.  

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro disse que o ministro da Saúde “vai ultimar parecer visando a desobrigar o uso de máscara por aqueles que estejam vacinados ou por aqueles que já foram contaminados”. O presidente também afirmou que a medida deverá ser implantada pelo governo “para tirar esse símbolo, que obviamente tem a sua utilidade para quem está infectado”. 

Poder360 pediu ao Ministério da Saúde uma posição sobre o estudo, mas até a publicação desta reportagem não houve resposta.

Deu em Poder360

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista