Governo Federal 15/05/2021 11:03

Governo Federal assina acordo de cooperação para a implementação da Adutora do Piquiri, no RN

Empreendimento vai atender até 510 mil pessoas em 39 cidades potiguares. Medida foi assinada pelo ministro Rogério Marinho nesta sexta-feira (14)

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) segue atuando para garantir segurança hídrica no Rio Grande do Norte.

O ministro Rogério Marinho assinou acordo de cooperação técnica com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) para a elaboração de estudos preliminares, ambientais e o projeto básico para a execução da Adutora do Agreste Potiguar, também conhecida por Adutora do Piquiri.

Para tanto, o MDR destinará R$ 8 milhões para a Codevasf. O termo de execução descentralizada que permitirá o repasse será assinado às 9 horas deste sábado (15) em Nova Cruz (RN).

O empreendimento vai garantir a oferta de água para até 510 mil pessoas em 38 municípios potiguares por mais 30 anos.

A previsão é que o Governo Federal invista R$ 260,5 milhões no empreendimento, que será dividido em três trechos, com um total de 170,9 quilômetros de tubulações.

Além disso, serão implantados um novo ponto de captação no Rio Guandu, uma adutora de água bruta, uma estação de tratamento de água (ETA), uma adutora principal de água tratada e duas adutoras secundárias.

“A Adutora do Piquiri é exemplo do trabalho que temos feito para garantir que todos possam ter acesso à água de qualidade. As adutoras que estão funcionando atualmente não conseguem atender à demanda atual das populações e é necessário investimento. O Governo Federal está assumindo esse compromisso, porque a água é que traz o desenvolvimento, e é isso o que estamos perseguindo em todo o Nordeste do Brasil”, afirmou o ministro Rogério Marinho.

A adutora vai atender 13 cidades diretamente. Na região do Agreste, serão contempladas Boa Saúde, Lagoa D’Anta, Monte das Gameleiras, Nova Cruz, Passa e Fica, Santa Cruz, Santo Antônio, São José do Campestre, Serra de São Bento e Serrinha. Já no Litoral Sul, o empreendimento inclui Canguaretama, Montanhas e Pedro Velho.

Outros 25 municípios também serão beneficiados com maior oferta hídrica por conta da redistribuição da água dos Sistemas Adutores Monsenhor Expedito e Espírito Santo. São eles: Barcelona, Bom Jesus, Campo Redondo, Coronel Ezequiel, Espírito Santo, Jaçanã, Japi, Lagoa de Pedras, Lagoa de Velhos, Lagoa Salgada, Lajes Pintada, Monte Alegre, Passagem, Ruy Barbosa, Santa Maria, São Bento do Trairi, São Paulo do Potengi, São Pedro do Potengi, São Tomé, Senador Elói de Souza, Serra Caiada, Sítio Novo, Tangará, Telmo Marinho e Várzea.

Quando finalizadas as obras físicas, a Codevasf transferirá a gestão e operação da Adutora do Piquiri para a Caern.

Obras em andamento no estado

Principal obra para garantir a segurança hídrica da região Nordeste, o Projeto de Integração do Rio São Francisco também atenderá o Rio Grande do Norte.

As águas do ‘Velho Chico’ verterão pelo Eixo Norte e chegarão ao estado por meio do Ramal do Apodi. A estrutura terá 115,5 quilômetros de extensão e tem investimento projetado em R$ 1,7 bilhão pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.

Outro empreendimento que integrará a ampliação da oferta hídrica para o estado é a Barragem Oiticica, que está sendo executada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), instituição vinculada ao MDR.

A obra está orçada em R$ 657,2 milhões, sendo R$ 638,2 milhões com recursos da Pasta. O Governo do Rio Grande do Norte, também responsável pela execução do empreendimento, arca com R$ 19 milhões em contrapartidas.

Fonte:Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista