Artigo 21/03/2021 07:08

A pandemia da mentira – Calos Linneu TF Costa

O homem é um animal que mente. É impossível a eliminação do fenômeno das fakes news e de seus efeitos nocivos no mundo da política e da democracia.

O homem é um animal que mente. É impossível a eliminação do fenômeno das fakes news e de seus efeitos nocivos no mundo da política e da democracia.

Basta citar duas causas, baseadas em evidências. A veracidade de ambas dispensam comprovação em experiências de laboratórios de comportamento humano.

A primeira é que homens e mulheres são mentirosos natos.

Mentem até mesmo para sobreviver. Desde pequenas mentiras sociais, para os namorados, passando pela professorinha do primário, até as grandes mentiras. Aquelas que provocaram guerras entre países. A História registra muitas e muitas ainda virão.

A pandemia é de uma riqueza nunca vista em matéria de mentiras.

A segunda causa é a de que nós desejamos sofregamente ouvir e ler mentiras.

Nós queremos ler uma informação que comprove e esteja em sintonia com a minha ideologia e com o que pensamos. E mais:
não temos a preocupação de comprovar a sua veracidade.

Por isso, procuramos ler somente os jornais e ouvir as rádios que corroborem as minhas opiniões. Bolsonarista não lê a Folha de São Paulo; o lulopetista detestava e não lia VEJA de dois anos atrás.

Há uns três bilhões de telefones celulares disparando ou repassando torpedos mentirosos neste momento.

Mais fácil deslindar o mistério da Santíssima Trindade do que acabar com a praga do fake news, até porque tem valor de mercado. Compra audiências.

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista