Brasil 03/03/2021 05:39

No Brasil já estão vivendo mais de 5 mil índios venezuelanos

Mais de cinco mil indígenas venezuelanos já cruzaram a fronteira; Cerca de 65% pertencem à etnia Warao

Uma pesquisa inédita vai apoiar a construção de políticas públicas nacionais para a população indígena de venezuelanos imigrantes no Brasil.

A iniciativa é uma parceria do Ministério da Cidadania, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

A coleta preliminar de dados para a Matriz de Monitoramento de Deslocamento (DTM, na sua sigla em inglês) já se iniciou.

As informações levantadas vão apoiar a construção de políticas públicas nacionais para essa população.

A etnia Warao forma hoje o principal contingente de refugiados e migrantes de povos indígenas da Venezuela no Brasil.

De acordo com dados divulgados Plataforma R4V, mais de 5 mil indígenas venezuelanos chegaram ao país desde 2016 pela fronteira norte, sendo que aproximadamente 65% deles são Waraos. Há registros de passagem da etnia nas cinco regiões do país, em mais de 40 municípios.

A pesquisa irá levantar uma amostra nacional sobre a realidade dos Waraos e demais populações indígenas venezuelanas no país. Serão coletados dados sobre as características etnoculturais, migração, condições de acesso a serviços públicos e um perfil sociodemográfico.

As informações apoiarão governos, agências das Nações Unidas e organizações da sociedade civil a desenvolverem projetos baseados em evidências e atividades de atenção e integração, assim como o melhor planejamento da utilização de recursos para assistência direta e assistência social.

A ação é realizada dentro do escopo do Acordo de Cooperação Técnica entra o Ministério da Cidadania e a OIM.

“A pesquisa DTM é um valoroso instrumento que permite que as gestões públicas tenham elementos qualificados para seu planejamento, contribuindo, desta forma, para sua execução com maior eficácia e, ao mesmo tempo, com respeito às diferenças culturais dos diversos povos”, informa o Secretário Nacional de Assistência Social do Ministério da Cidadania, Miguel Ângelo Oliveira.

Para a secretária nacional de proteção global, Mariana Neris, a iniciativa é de suma importância para a população indígena venezuelana no Brasil. “Nossa participação no projeto contribuirá com aportes a partir da perspectiva de direitos humanos na construção e abordagem da pesquisa. O ministério integrará a equipe de análise dos dados obtidos, que subsidiarão a formulação e implementação de políticas públicas de promoção e proteção dos direitos humanos desta população”, afirma.

Fonte: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista