Comércio 10/02/2021 09:51

Vendas no varejo caem 6,1% em dezembro e fecham 2020 com alta de 1,2%, diz IBGE

Em dezembro de 2020, o volume de vendas do comércio varejista caiu 6,1% frente a novembro, na série com ajuste sazonal, após ter variado -0,1% em novembro. A média móvel trimestral foi de -1,8%.

Em dezembro de 2020, o volume de vendas do comércio varejista caiu 6,1% frente a novembro, na série com ajuste sazonal, após ter variado -0,1% em novembro. A média móvel trimestral foi de -1,8%.

Período Varejo (%) Varejo Ampliado (%)
Volume de vendas Receita nominal Volume de vendas Receita nominal
Dezembro / Novembro* -6,1 -5,3 -3,7 -2,8
Média móvel trimestral* -1,8 -0,8 -0,6 0,6
Dezembro 2020 / Dezembro 2019 1,2 9,2 2,6 10,9
Acumulado 2020 1,2 6,0 -1,5 3,3
Acumulado 12 meses 1,2 6,0 -1,5 3,3
*Série COM ajuste sazonal  

Na série sem ajuste sazonal, frente a dezembro de 2019, o comércio varejista teve aumento de 1,2%, sexta taxa positiva consecutiva.

No acumulado no ano, o varejo passou de 1,3% em novembro para 1,2% em dezembro, indicando estabilidade no ritmo de vendas.

No varejo ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas caiu 3,7% em relação a novembro, descontando parte de sete meses consecutivos de acréscimos. A média móvel (-0,6%) sinalizou redução no ritmo de vendas. Em relação a dezembro de 2019, o varejo ampliado cresceu 2,6%, sexta taxa positiva consecutiva.

O acumulado no ano foi -1,5%.

Todas as oito atividades pesquisadas tiveram queda em dezembro

O recuo de  6,1% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de novembro para dezembro de 2020, na série com ajuste sazonal, atingiu todas as oito atividades pesquisadas, na seguinte ordem de magnitude:

Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-13,8%), Tecidos, vestuário e calçados (-13,3%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-6,8%), Móveis e eletrodomésticos (-3,7%), Livros, jornais, revistas e papelaria (-2,7%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-1,6%), Combustíveis e lubrificantes (-1,5%) e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%).

Considerando o comércio varejista ampliado, em dezembro, a queda de 3,7% no volume de vendas frente a novembro de 2020, na série com ajuste sazonal, foi seguida também pelos dois setores que a compõem, além dos oito citados anteriormente:

Veículos, motos, partes e peças registrou recuo de 2,6% e Material de construção, de 1,8%.

Varejo acumula 1,2% em 2020, quarto ano consecutivo de crescimento

Desde 2017, o comércio varejista apresenta números positivos no acumulado anual: 2,1% em 2017; 2,3% em 2018; 1,8% em 2019; e 1,2% em 2020. O crescimento do comércio varejista neste último ano se deu de maneira desigual entre os setores, apresentando decréscimo no primeiro semestre e acréscimo no segundo. O comércio varejista ampliado, por sua vez, acumulou queda de 1,5% em 2020, primeiro resultado negativo após três anos consecutivos acumulando ganhos.

Comércio varejista cresce 1,2% em comparação com dezembro de 2019

Em relação a dezembro de 2019, o comércio varejista cresceu 1,2%, com quatro das oito atividades registrando taxas positivas. Vale citar que dezembro de 2020 teve um dia útil a mais (22 dias) do que igual mês do ano anterior (21 dias). As atividades com crescimento foram:

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (13,8%), Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,5%), Móveis e eletrodomésticos (2,9%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,6%). Por outro lado, as atividades que apresentaram queda foram: Combustíveis e lubrificantes (-6,5%), Tecidos, vestuário e calçados (-9,9%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-12,2%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (-37,4%).

As atividades que compõem o comércio varejista ampliado tiveram desempenho positivo no indicador interanual: Veículos e motos, partes e peças (1,7%) e Material de construção (18,8%).

No indicador semestral, a elevação da intensidade das vendas do comércio varejista na passagem do primeiro para o segundo semestre de 2020 foi registrada na maioria das atividades, com destaque para Móveis e eletrodomésticos (de -1,4% para 20,7%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (de -10,6% para 12,9%).

No comércio varejista ampliado também se observou aumento de ritmo entre o primeiro e o segundo semestres de 2020 (de -7,7% para 4,2%) resultante da combinação da perda de ritmo de queda em Veículos, motos, partes e peças (de -22,7% para -5,4%) e do ganho das vendas em Material de construção (de -2,0% para 22,4%).

Deu no Portal do IBGE

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista