Vacina 20/12/2020 08:21

Órgão dos EUA confirma 6 casos de reação alérgica grave à vacina da Pfizer

O CDC (Centro para Controle e Prevenção de Doenças) informou nesse sábado (19.dez.2020) que 6 pessoas desenvolveram reação alérgica grave depois de receberem doses da vacina anti-covid-19 da Pfizer/BioNTech nos Estados Unidos.

O CDC (Centro para Controle e Prevenção de Doenças) informou nesse sábado (19.dez.2020) que 6 pessoas desenvolveram reação alérgica grave depois de receberem doses da vacina anti-covid-19 da Pfizer/BioNTech nos Estados Unidos.

Tom Clark, epidemiologista do CDC, falou sobre as reações em reunião com o Comitê Consultivo em Práticas de Imunização do órgão, que debateu a autorização ao imunizante da Moderna.

Segundo Clark, as pessoas afetadas são adultos com menos de 65 anos. Ele disse que a maioria foi hospitalizada e tratada. O epidemiologista falou que as 6 pessoas não receberão a 2ª dose do imunizante.

O CDC foi informado de todos os casos através de sistemas federais de monitoramento de segurança das vacinas. Clark disse que ainda não está claro se um ingrediente da vacina foi a causa direta das reações.

Pouco mais de 3.000 das 112.807 pessoas que receberam o imunizante relataram algum sintoma que as impediram de realizar tarefas diárias. Segundo o epidemiologista, não foi necessário nenhum cuidado médico na maioria dos casos.

vacinação teve início em 14 de dezembro nos Estados Unidos. Na 4ª feira (16.dez) foi relatado que 2 profissionais da área da saúde tiveram forte reação alérgica ao imunizante da Pfizer/BioNTech. Uma das pessoas é uma mulher sem histórico de alergias.

Casos semelhantes já tinham sido relatados no Reino Unido. Em 8 de dezembro, 1º dia de vacinação no país, duas pessoas tiveram reações alérgicas depois de receberem doses da vacina.

A MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido) informou que eles foram tratados e estavam bem. A agência recomendou que pessoas com histórico de reações alérgicas severas não recebam a imunização.

A Pfizer e a BioNTech anunciaram o resultado final dos testes em 18 de novembro. A vacina mostrou 95% de eficácia na prevenção da covid-19. Os estudos não mostraram nenhum evento que motivasse preocupações de segurança.

A FDA (Food and Drug Administration), agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, aprovou a vacina da Pfizer/BioNTech em 11 de dezembro. Dois dias depois, em 13 de dezembro, o CDC anunciou a autorização para uso emergencial do imunizante.

Deu em Poder360

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista