Eleições 22/11/2020 11:08

Pandemia fez aumentar a abstenção nas eleições

As cidades que tiveram um maior aumento nas abstenções foram Florianópolis (16,4 pp.), Vitória (14,69 pp.) e Curitiba (13,74 pp.). Já as cidades com uma variação menor de aumento da abstenção foram Belém (1,76 pp.) e Cuiabá (2,1 pp.).

As cidades que tiveram um maior aumento nas abstenções foram Florianópolis (16,4 pp.), Vitória (14,69 pp.) e Curitiba (13,74 pp.). Já as cidades com uma variação menor de aumento da abstenção foram Belém (1,76 pp.) e Cuiabá (2,1 pp.).

Vitória e Belém representam pontos fora de curva. A capital paraense, ao mesmo tempo que tem um aumento baixo na abstenção, faz parte do oitavo maior estado no ranking da In Locus de isolamento social (39,27%).

Do outro lado está a capital capixaba, que teve um grande aumento na abstenção, mas o índice de isolamento social do Espírito Santo é um dos mais baixos do país, estando na 21ª colocação (36,43%).

No geral, cidades com maior índice de isolamento tiveram maior aumento de abstenção.

O cientista político Ricardo João de Braga explica que em toda eleição há aumento da abstenção, mas que em 2020 a pandemia reforçou esse movimento.

“Não tenho dúvida que o isolamento social é importante, vi casos de pessoas que resolveram não votar porque são velhas, até não precisavam, sempre votavam, mas nessas eleições escolheram não votar”, declarou.

Ele completou: “a abstenção em geral é composta pelo desinteresse das pessoas e esse ano tem essa causa nova para aumentar o volume que é a covid.”

Deu em Congresso em Foco

Ricardo Rosado de Holanda


Descrição Jornalista

mais lidas