Uncategorized 02/10/2020 06:30

Não, Senador Jean. Não há passagem de graça!

Senador Jean (PT) reforçou o projeto do Passe Livre durante o debate com os candidatos à prefeitura de Natal da emissora de TV Band, que aconteceu nesta quinta-feira (1º).

Senador Jean (PT) reforçou o projeto do Passe Livre durante o debate com os candidatos à prefeitura de Natal da emissora de TV Band, que aconteceu nesta quinta-feira (1º).

Jean quer uma integração do transporte público da capital que leve ao cenário de gratuidade na tarifa de ônibus.

“Nós vamos aproveitar o fato de que o transporte público não tem concessão, não tem regra, para começar do zero, de uma forma que permita ter passagem de graça em Natal em um espaço de tempo gradual, com a implantação do Passe Livre”, declarou o candidato.

Jean reafirmou que a proposta é viável e que tem como implementar o passe gratuito em parte dos corredores viários da cidade em um curto espaço de tempo.

“Muita gente dizia que energia eólica e energia solar não eram possíveis no Rio Grande do Norte e eu provei que eram. E agora quero mostrar para Natal que é possível ter ônibus de graça, no curto prazo, já em alguns corredores principais, com ônibus elétricos”, argumentou.

Durante o debate, Senador Jean também apresentou sua proposta de reestruturação administrativa da prefeitura, fortalecendo o planejamento, os servidores e melhorando as finanças do Município.

Fonte e foto: Assessoria

OBS DO FATORRRH: Esta tese é antiga e já habitou debates em eleições de Natal. Sempre o apelo demagógico da possibilidade de o usuário de transporte coletivo ter “passagem de graça”.

É um engodo.

Alguém terá que pagar os custos das empresas de ônibus com o veículo, com os funcionários, com a manutenção da frota.

Do mesmo jeito em trens, metrôs e qualquer outro serviço de transporte público.

Até mesmo se o Senador decidir  retrocesso de estatizar tudo, há um preço que o contribuinte terá que pagar.

Na desapropriação e na manutenção do uso do transporte pela população.

Assim como não há “almoço de graça”, não há também “passagem de graça”.

Melhor mudar de assunto.

Vai ficar feio.

Ia esquecendo: a energia eólica deu certo aqui por uma razão bem simples: é da iniciativa privada, tem lucro e o Estado quando se mete, na maioria das vezes, é pra atrapalhar.

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista