Energia. 27/08/2020 08:38

INCRA-RN recebe estudo de viabilidade eólica em assentamentos

O Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), realizou a entrega oficial do caderno técnico “Ventos que Transformam Vidas” para o Incra do Rio Grande do Norte.

O Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (CERNE), realizou a entrega oficial do caderno técnico “Ventos que Transformam Vidas” para o Incra do Rio Grande do Norte.

O Diretor-Presidente do CERNE, Darlan Santos, e Diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Raniere Rodrigues, apresentaram o documento para representantes do órgão durante solenidade ocorrida no último sábado (21) no escritório da superintendência regional em Natal.

O estudo de viabilidade foi recebido pelo presidente nacional do Incra, Geraldo Melo Filho, e corpo técnico do escritório potiguar da autarquia federal.

O trabalho prevê o uso de áreas de assentamento no desenvolvimento de projetos eólicos em troca de obras de infraestrutura e possível retorno financeiro para os assentados no estado. Hoje, Rio Grande do Norte é pioneiro na implantação deste tipo de energia e líder nacional com 4,3GW de capacidade instalada.

O Incra-RN encomendou há dois anos esse estudo ao Cerne. As instituições assinaram acordo de cooperação durante o 11º Fórum Nacional Eólico, considerado um dos maiores eventos do setor no país, realizado na capital potiguar.

De acordo com o Incra-RN, há 289 assentamentos no estado, que correspondem a aproximadamente 10% da área em território potiguar.

Levantamento do instituto mostrou que cerca de 170 assentamentos são aptos a receber parques eólicos, visto a maior parte dessas áreas estarem situadas em regiões com incidência de ventos para geração de energia. Por volta de 5 mil pessoas seriam beneficiadas.

O documento recomenda que os recursos obtidos com a cessão das áreas para os aerogeradores sejam utilizados para melhorar as condições de trabalho e de infraestrutura do assentamento.

Segundo Darlan Santos, essa proposta prevista no estudo “será um recurso para o assentado comprar insumos agrícolas, peças e equipamentos e que manterá o objetivo da reforma agrária, que é manter o homem no campo”, disse.

Fonte e foto: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista