Brasil 22/04/2020 12:24

Assim com fez com todos, PT vai apoiar o impeachment de Bolsonaro

As bancadas do PT na Câmara e no Senado passaram na tarde desta 3ª feira (21.abr.2020) a defender a saída de Jair Bolsonaro da Presidência da República. A nova posição tem o aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se reuniu em videoconferência com os congressistas do partido mais cedo.

As bancadas do PT na Câmara e no Senado passaram na tarde desta 3ª feira (21.abr.2020) a defender a saída de Jair Bolsonaro da Presidência da República.

A nova posição tem o aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se reuniu em videoconferência com os congressistas do partido mais cedo.

Até agora, a legenda era o principal polo de oposição ao governo Bolsonaro, mas não defendia sua retirada do Palácio do Planalto. Lula chegou a proferir frases como “ele ganhou as eleições e agora teremos que amargar porque sabemos que o mandato é de 4 anos”.

A situação mudou de figura no fim de semana, quando Bolsonaro participou de protestos contra o Congresso, o STF (Supremo Tribunal Federal), e que pedia novo AI-5 (ato institucional número 5), o instrumento que permitiu aos militares recrudescer a ditadura em 1968.

As primeiras manifestações pela deposição de Bolsonaro nas redes sociais de congressistas do PT já apareceram nas últimas horas. Por exemplo, dos deputados Enio Verri (PT-PR), líder da bancada, e Rogério Correia (PT-MG)

A reunião dos deputados e senadores petistas com Lula estava marcada para 6ª feira (24.abr.2020), disse ao Poder360 a presidente do partido, Gleisi Hoffmann (PR). “Resolvemos adiantar para o feriado [depois de ver os atos]”, afirma. O candidato petista à Presidência em 2018, Fernando Haddad (SP), também participou da conversa.

Gleisi Hoffmann explicou que a decisão tomada após o encontro virtual com o ex-presidente é uma indicação ao diretório nacional, que decidirá se o partido embarca de vez na campanha pela queda de Jair Bolsonaro.

“Já há avaliação crescente de vários membros do diretório, amanhã deve ter uma manifestação em relação a isso”, disse a presidente da sigla.

Perguntada se a legenda faria 1 pedido de impeachment na Câmara ou se apoiaria algum dos já existentes, ela afirmou que o foco ainda é na mobilização da opinião pública.

“O tempo vai dizer a hora de chegarmos ao pedido de impeachment”, disse o líder do partido na Câmara, Enio Verri (PT-PR).

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista