Previdência 11/12/2017 06:25

Estudo prova que é lenda a frase "quem votar não volta"

O estudo conclui “não haver evidências de que o voto a favor da reforma da Previdência tenha afetado o desempenho eleitoral dos deputados, contrariando a ideia de que “quem votar não volta”. Se perdeu na idade mínima, o governo FHC conseguiu aprovar parte da reforma que propôs no ano eleitoral de 1998.

O estudo conclui “não haver evidências de que o voto a favor da reforma da Previdência tenha afetado o desempenho eleitoral dos deputados, contrariando a ideia de que “quem votar não volta”.
Se perdeu na idade mínima, o governo FHC conseguiu aprovar parte da reforma que propôs no ano eleitoral de 1998.
Foram 345 votos favoráveis, 152 contrários e 3 abstenções. Desses 500 parlamentares, 434 se candidataram.
Entre os deputados a favor da medida no 1.º turno, 69% se elegeram, taxa superior à dos que votaram contra, de 50%.
A votação do 2 turno da reforma aconteceu em novembro, após as eleições.
No estudo, o consultor do Senado diz que uma explicação é que os deputados que apoiam o governo, o que inclui votações estratégicas como a reforma, têm mais recursos para suas campanhas.

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista