Sem categoria 07/07/2017 10:46

Presidente do BNDES promete "seis anos em seis meses"

Depois das críticas do setor empresarial pela dificuldade na liberação de financiamentos, o BNDES sinaliza uma virada nessa postura. Segundo o novo presidente da instituição, Paulo Rabello de Castro, o lema agora é “fazer seis anos em seis meses”. Ele tem pregado internamente uma mudança de atitude, com adoção de medidas que, acredita, vão acelerar o processo de concessão de crédito.

Depois das críticas do setor empresarial pela dificuldade na liberação de financiamentos, o BNDES sinaliza uma virada nessa postura. Segundo o novo presidente da instituição, Paulo Rabello de Castro, o lema agora é “fazer seis anos em seis meses”.
Ele tem pregado internamente uma mudança de atitude, com adoção de medidas que, acredita, vão acelerar o processo de concessão de crédito.
As iniciativas têm focado nos desembolsos a micro, pequenas e médias empresas, mas, segundo Rabello, o BNDES não fechou as portas para as grandes companhias.

A nova postura vai ao encontro da percepção do setor empresarial de que é preciso reanimar a economia com a ajuda do banco de fomento. No mês passado, o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paul Skaf, disse que o banco teria de fazer em seis meses o que faria em seis anos para viabilizar a retomada.Ele criticou a queda de 35% nos desembolsos da instituição e pediu também que a diretoria do banco desse uma “injeção de ânimo” no corpo técnico para que as liberações fossem retomadas.
Antecessora de Rabello de Castro no cargo, Maria Silvia Bastos Marques – que pediu demissão em junho – foi duramente criticada, dentro e fora do governo, por reter os recursos do banco e “sentar” na liquidez – o banco tinha, em junho, 150 bilhões de reais em caixa para financiamentos.
A instituição endureceu os critérios para empréstimos principalmente depois dos problemas enfrentados com empresas envolvidas na Operação Lava Jato.
As críticas dos empresários eram de que, mesmo financiamentos já acertados – como para obras de concessões, por exemplo – não eram liberados.
Deu em Veja
(Com Estadão Conteúdo)
Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista