Sem categoria 23/06/2017 09:46

BC festeja a quebra da "espinha dorsal da inflação"

A pronunciada queda da inflação, de 6,29% em 2016 para 3,8% neste ano, abaixo da meta de 4,5% segundo projeções do Banco Central, encorajou o presidente do BC, Ilan Goldfajn, a assegurar: "Quebramos a espinha dorsal da inflação".

A pronunciada queda da inflação, de 6,29% em 2016 para 3,8% neste ano, abaixo da meta de 4,5% segundo projeções do Banco Central, encorajou o presidente do BC, Ilan Goldfajn, a assegurar:
“Quebramos a espinha dorsal da inflação”.
Ele conversou ontem com o Valor, após a divulgação do relatório trimestral de inflação com as novas projeções para o IPCA.
No fim do terceiro trimestre, a inflação deve cair para 2,9% em 12 meses. O BC, porém, avalia que haverá, no último trimestre do ano, recuperação nos preços de alimentos, os grandes responsáveis pela rápida desinflação.
Não espera, portanto, que se reproduza, entre outubro e dezembro, os baixos índices registrados em igual período de 2016, quando o o IPCA foi de 0,74%.
Após cinco semanas da hecatombe produzida pela delação do empresário Joesley Batista, da JBS, no dia 17 de maio, que atingiram duramente a Presidência da República, Ilan avalia que as consequências da crise política podem não ser inflacionárias nem desinflacionárias, mas neutras, levando ao cenário que o Comitê de Política Monetária (Copom) concebia até aquela data.
Deu em Valor Econômico

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista