Sem categoria 22/06/2014 07:05

Novas pesquisas eleitorais já estão sob suspeitas

Por fatorrrh_6w8z3t

Um curioso das coisas da política e sempre metido nas polêmicas sobre as pesquisas eleitorais manda para o Fator RRH observações sobre as sondagens que estão sendo anunciadas.
Diz ele que os dois Institutos são novatos e suas pesquisas já estão sob suspeita.
O blog ainda não viu as pesquisas, mas abre espaços para as avaliações.
Diz a fonte:
A temporada de pesquisas eleitorais para buscar intenções de voto no Rio Grande do Norte começou com suspeitas em relação à metodologia de dois institutos que pediram registro de divulgação ao Tribunal Regional Eleitoral TRE:
GPP Planejamento e Pesquisa, empresa do interior do Rio de Janeiro, e Seta Instituto de Pesquisa, de Natal. Ambas debutam no cenário eleitoral do estado.
A GPP Planejamento é uma empresa com sede em Niterói, no Rio de Janeiro, em cujo leque de clientes está o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo.
Sob o protocolo RN-00003/2014, o instituto registrou levantamento com previsão de ouvir apenas 600 pessoas no universo de mais de 2 milhões de eleitores no RN.
Para efeito de comparação, a Consult, primeira a registrar e divulgar pesquisa para as eleições deste ano, ouviu 1700 pessoas.
Outra questão que chama atenção é que a GPP não detalhou em quais municípios e bairros serão aplicados os questionários.
Isso deixa brecha para questionamentos sobre a metodologia e até para pedido de impugnação, segundo especialistas.
Nos bastidores, comenta-se que, antes mesmo das entrevistas, já se sabe o resultado em relação ao índice de rejeição dos candidatos.
A análise de rejeição, inclusive, é aplicada somente na pesquisa para o governo do estado, excluindo o Senado do questionamento.
Não menos graves são as suspeitas em relação à metodologia do instituto Seta, que por coincidência registrou a pesquisa no mesmo dia da GPP, 20 de junho.
Nesse caso, o que chama atenção é justamente a distribuição dos municípios a serem pesquisados.
Em vários casos, há distorções no número de questionários em municípios com diferentes contingentes eleitorais.
O caso mais gritante está no número de questionários destinados aos municípios de São Gonçalo do Amarante e Nova Cruz.
No primeiro, que tem 95.218 eleitores, serão 40 questionários.
No segundo, com 37.079 eleitores (menos da metade de São Gonçalo) o número de questionários sobe para 42.
Ainda com relação ao instituto Seta, há uma divergência sobre o que tradicionalmente ocorre acerca do contratante da pesquisa – geralmente, quem contrata e paga é um veículo de comunicação.
O instituto optou pagar com recursos próprios o levantamento, cujo registro no TRE indica o valor de R$ 20 mil.
Observação do Fatorrrh:
Em se tratando de suspeitas em suas metodologias, os institutos novatos não irão se diferenciar.
Pesquisa eleitoral no RN é uma coisa neurótica.
As pessoas se lançam nos números como se fossem absolutamente definitivos e, em muitos casos, verdadeiros.
A maioria, evidentemente,  não tem a menor noção de como se faz uma pesquisa eleitoral.
Os dois novatos (um ligado a Kassab, Presidente do PSD) e outro local  terão muito que explicar.
Já que a emoção sempre se sobrepõe ao conhecimento técnico.
Como empresa de pesquisa também tem seus interesses, é muito comum – infelizmente – se tentar manipular dados técnicos para atender interesses imediatos dos contratantes.
Não sabe a empresa de pesquisa que estará jogando na lata do lixo o seu maior patrimônio: a credibilidade.

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista