Sem categoria 30/04/2014 04:34

Justiça proíbe Sindicato de fechar as ruas de Natal

Por fatorrrh_6w8z3t

Deu no Portalnoar

Por Ciro Marques

O Sindicato dos Transportes Alternativos (Sitoparn) está, oficialmente, proibido de fechar as ruas de Natal.

A determinação é da Justiça Estadual que, na tarde de hoje (29), horas antes do Sitoparn fechar o acesso as duas pontes de Natal, deferiu liminar pedida pelo Ministério Público do RN e impediu novas interdições.

“A ação é recente, foi proposta no final de março, quando vi uma notícia do Sitoparn anunciando que iria fechar as ruas de Natal. Ora, eles (sindicato) têm que entender que não são os donos cidade. Não podem, simplesmente, decidir que vão fechar as ruas e pronto. Não podem”, afirmou a promotora Rossana Sudário, autora da ação civil pública com pedido de liminar deferido hoje, por volta das 16h.

Na liminar, inclusive, foi solicitado que o comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Araújo Silva, informe pessoalmente os sindicalistas sobre a proibição.

“Ainda bem que essa decisão foi proferida e, muito provavelmente, o Sindicato já deve ter sido notificado. Por isso, liberaram o trânsito na noite de hoje”, afirmou Rossana Sudário.

A interdição do acesso às duas pontes (a Newton Navarro e a de Igapó) ocorreu no final da tarde de hoje e ficou totalmente fechado por mais de uma hora (quase duas), impedindo o retorno de milhares de natalenses para casa.

“Eu espero que, pelo menos, novas situações como essa não ocorram. O povo não pode continuar pagando por isso, a mercê do Sindicato”, afirmou a promotora.

Eles não aprendem…

É importante ressaltar que essa não foi a primeira vez que o Sitoparn recebeu críticas ao fechar o trânsito de Natal em protesto contra a demora na implantação da bilhetagem unificada no transporte coletivo da capital.

No final do ano passado, uma ação parecida, realizada no cruzamento do shopping Midway, deixou milhares de natalenses insatisfeitos e fez com que o Sindicato perdesse, na oportunidade, o apoio de vários representantes sociais.

Além disso, na oportunidade, o Sindicato ainda recebeu recomendação do Ministério Público do RN para que não realizasse novos protestos como aquele, sobre risco, justamente, de responder a ação civil pública. A Prefeitura de Natal também agiu e até cobrou da Polícia Militar atitude diante de novas ações interrompendo ruas.

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista