Sem categoria 18/02/2014 10:00

A perigosa solidão do PSB

Por fatorrrh_6w8z3t

A vice Prefeita Wilma de Faria, líder das pesquisas até agora, tanto para o Governo quanto para o Senado, corre um risco na formação das alianças.
Desejadas e naturais no processo eleitoral.
Uma aliança é um grande e circunstancial partido que se forma para disputar um pleito.
E quando mais forte melhor para a disputa.
Se deseja mesmo disputar um cargo majoritário, Wilma de Faria sabe que terá muita dificuldade para ganhar a eleição sozinha.
Outros são os tempos, as circunstâncias e os apelos.
Cada eleição tem sua cara própria.
Precisará de aliados para se eleger e eleger suas bancadas na Assembleia e na Câmara Federal.
Além de ajudar o seu candidato a Presidente da República.
Acontece que todos os demais partidos estão tentando formar suas alianças, construindo seus apoios e gerando seus embriões para a disputa.
Menos o PSB de Wilma de Faria.
Tudo gira em torno do que ela eventualmente insinua, deixa transparecer.
Parece que caiu no discurso simplista de que se não fizerem o que ela deseja sai para o Governo e para o Senado, independente de alianças.
Parece que acreditou na história de que a eleição de 2014 todos são reféns das vontades do PSB.
Não é assim.
Se o PSB não cuidar as alianças serão formadas, isolando o partido.
Os salamaleques em aniversários não passam de salamaleques.

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista