Sem categoria 23/10/2013 06:20

A selva na Romualdo Galvão

Por fatorrrh_6w8z3t

fotoz fotoz1 fotoz2É verdade que não começou agora.

Mas a selva no trânsito na Romualdo Galvão tende a piorar durante as obras de mobilidade, já que deram um nó tático no setor.
Nó cego em barbante molhado.
Ontem de noite resolvi ir a pé ao Restaurante Mangai tomar a minha coalhada olímpica.
Retornei pela Romualdo e em menos de 20 metros percebi graves infrações cometidas por motoristas.
Ainda do tempo do Trânsito Livre, uma placa na Romualdo Galvão ( foto 1) mostra que é permitido estacionar somente depois das 19 horas.
Pois a placa foi riscada para apagar a informação.
É a manifestação explícita da mundiça, a impressão digital do vale tudo na cidade.
Os carros estacionam diariamente antes deste horário, principalmente alunos de uma faculdade particular existente na rua.
O curso é de Direito.
Imagine se não fosse para futuros advogados.
Com a placa riscada, o motorista sente-se livre para abusar da boa vontade de quem vem na faixa direita da rua.
Tome buzina e engarramento todos os dias.
A foto 2 mostra que sair da Romualdo Galvão e entrar na Oto de Brito Guerra é contramão.
Acontece que nenhum aluno respeita mais a placa.
O morador, forçado a seguir pela Romualdo, entrar na Miguel Castro, pegar a Prudente e entrar no outro lado da Oto de Brito Guerra, vendo que a rua foi invadida, também desobedece.
É um indo e voltando, com carros estacionados nas duas laterais da rua estreite e cheia de buracos.
Os alunos da Faculdade são os mais abusados e grosseiros.
Sem estacionamento na escola, tomam conta de todos os espaços.
Aliás, em cidade civilizada não seria permitido instalar uma escola sem estacionamento.
Natal é que não tem lei.
Ao ponto do Restaurante Mangai fechar a saída por trás da empresa.
Os alunos estacionavam seus veículos no espaço privado do restaurante e iam assistir aula.
Vejam o tamanho da camioneta que tenta entrar na rua enquanto outro motorista, na mão correta, não consegue sair.
A foto 3, já na Oto de Brito Guerra, reforça a informação de que é contramão.
Ninguém tá nem aí.
Moradores da região não podem convidar ou receber ninguém antes das 10 da noite.
Todos os dias da semana.
Não há onde estacionar.
Na calçada do meu prédio tem uma faixa amarela.
Ora, já cheguei em quase não pude entrar.
Tive que protestar.
O motorista estava assistindo aula e ninguém sabia de quem era o carro do idiota.
Os futuros advogados estacionam até diante do portão do prédio.
Agora instalaram também um bar na calçada da faculdade.
Daqui a pouco tem paredão de som.
Vai sair cada causídico dali.

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista