Sem categoria 13/09/2013 05:06

Vendas do comércio superam todas as previsões

Por fatorrrh_6w8z3t

Os números das vendas do comércio varejista potiguar em julho, divulgados nesta quinta-feira, 12, pelo IBGE, superaram as projeções mais otimistas da Fecomércio RN.
Segundo o instituto, as vendas do Varejo Ampliado no estado cresceram, no sétimo mês do ano, nada menos que 10% sobre o mesmo mês do ano passado, que também havia registrado uma alta considerável (9,4%) sobre 2011.
O Rio Grande do Norte ficou atrás apenas de Mato Grosso do Sul (alta de 15,7%) e Paraíba (incremento de 13,8%). No Brasil, a alta do Varejo Ampliado foi de 3,7%.
Vale ressaltar que diversos economistas e consultorias econômicas ouvidas por publicações nacionais e especializadas (como é o caso do jornal Valor Econômico) apontavam alta de, no máximo, 0,8% para o varejo nacional.
No caso do Rio Grande do Norte, informações do próprio IBGE davam conta de que julho marcaria o início do ciclo de crescimentos menores nas vendas do estadom interrompendo uma sequência de altas bem maiores verificada em quase todo o primeiro semestre (com exceção de junho, ver quadro).
A expectativa destes percentuais menores de crescimento residia, sobretudo, no fato de que a base de comparação do segundo semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2012 é alta. Mas, não foi o que aconteceu.
Nacionalmente, o IBGE tomou como base da explicação dos números surpreendentes o programa Minha Casa Melhor, do Governo Federal, já que o setor de Móveis e Eletrodomésticos foi o que mais elevou suas vendas no mês (11%).
Mas, economistas e especialistas torcem o nariz para esta explicação. Segundo os números oficiais, o Minha Casa Melhor aplicou, de 12 de junho até o início de setembro, R$ 1 bilhão, garantindo créditos de até R$ 5 mil por família para aquisição de móveis e eletrodomésticos.
Para se ter uma ideia, este valor representa apenas cerca de 5% do faturamento de um ano do Rio Grande do Norte (que é de R$ bilhões). No Brasil, o comércio varejista fatura cerca de R$ 200 bilhões por mês.
Fonte: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda


Descrição Jornalista

mais lidas