Sem categoria 18/07/2013 06:11

PMDB quer acabar já com 14 ministérios

Por fatorrrh_6w8z3t

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), recomenda à presidente Dilma Rousseff que faça já uma reforma ministerial e reduza de 39 para 25 o número de pastas.
Em entrevista à Folha e ao UOL, o deputado peemedebista, que ocupa o terceiro posto na hierarquia da República, sugere também à presidente da República que estabeleça uma agenda de mais conversas com os congressistas e aliados.
Cita as reuniões do conselho político (presidentes e líderes partidários) que ocorriam durante o mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.
“Há quanto tempo não se reúne o conselho político? Eu não me lembro a última vez”.
Henrique Alves acha que reforma ministerial deve ser formatada no início de agosto, quando deputados e senadores voltam ao trabalho.
A nomeação de fato dos novos nomes ficaria para setembro. Quantas deveriam ser as pastas? “Acho que com a vontade enxugar a máquina, de fazê-la mais objetiva, em torno de 25 ministérios seria do tamanho do Brasil”. Ou seja, um corte de 14 nos 39 existentes na Esplanada.
Há duas lógicas por trás da formulação proposta por Henrique Alves. Uma delas é política. Dilma Rousseff até agora apenas repassou ao Congresso demandas que ela diz ter interpretado a partir dos protestos de rua ocorridos no país em junho.
Agora, ao recomendar o corte de ministros e uma nova equipe para o governo, o PMDB repassa a bola para o Palácio do Planalto.
“Há um consenso hoje na questão do número exagerado de ministérios”, diz Henrique Alves.
Ele afirma que “os partidos da base deveriam dar essa colaboração, delegando à presidente Dilma ampla liberdade de recompor o seu ministério” e para “reduzir esse ministério sem nenhuma nova imposição partidária, não indicar esse ou aquele”.
E o PMDB? “Nós estamos dispostos a oferecer porque nós queremos encontrar uma saída. Não pode ficar esse impasse, adiando, achando que as coisas estão caminhando como não estão. Nós queremos um Brasil mais ágil. Que a presidente dê respostas novas. As movimentações [de rua] cessaram um pouco, mas está latente ainda a insatisfação”.
Se Dilma cortar parte de seus 39 ministérios, “daria uma resposta ao que o país quer: redução de quadros, mudança, portanto, de ordenamento político-administrativo”.
Deu na Folha de São Paulo

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista