Sem categoria 16/05/2013 04:04

Outro Governador do PSB contra a candidatura de Eduardo Campos

Por fatorrrh_6w8z3t

Um dos seis governadores do PSB, Renato Casagrande, do Espírito Santo, tornou públicas as restrições que fazia privadamente à candidatura presidencial do colega pernambucano Eduardo Campos.
Fez isso numa entrevista ao repórter Cristian Klein.
“Ele pode até ter decidido, mas não tem condições de ser candidato ainda”, disse. Que condições? Tempo de propaganda e aliança partidária, por exemplo.
“Ele precisa de tempo para fazer essa avaliação.”
Aliado ao PT e ao PMDB no seu Estado, Casagrande sera candidato à reeleição em 2014.
“O que nós estamos tentando lá no Estado é, independentemente do que acontece no nível nacional, pelo trabalho que a gente tem, pelo que a gente sofreu no passado, nós estamos defendendo a manutenção da aliança.”
O governador capixaba não crê que a conjuntura econômica vá ter grande peso na definição do quadro de 2014.
“Não acredito que a economia vá crescer muito, nem que vá degringolar. Quem esperar por uma economia fraca para ser candidato pode ter muita chance de errar. O Eduardo deve verificar as condições partidárias dele, o ambiente partidário, e verificar as condições pessoais, de aliança, de seu íntimo. Mais para dentro, dele como pessoa, dele como liderança, que vai ter ou não ter aliança.”
Não lhe parece irreversível a candidatura presidencial de Eduardo Campos? “Não sei, acho que ele está fazendo a reflexão. Tem uma aliança histórica com o PT, tem uma responsabilidade com o governo federal, nós somos aliados da presidenta Dilma, estamos colaborando com ela. É uma avaliação partidária e pessoal que ele tem tempo para fazer.”
As posições de Renato Casagrande o aproximam de outros dois líderes regionais do PSB, o governador cearense Cid Gomes e seu irmão, o ex-ministro Ciro Gomes.
A dupla também acha que Eduardo Campos deveria apoiar a reeleição de Dilma e adiar suas pretensões para 2018.
Casagrande defende que o PSB discuta internamente o projeto presidencial ao longo de 2013. Acha que a decisão de Eduardo Campos deve ser tomada “um pouco mais à frente, entre outubro e o fim do ano.”
Deu no blog do Josias de Souza

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista