Sem categoria 05/04/2013 06:00

Quase 5% das mulheres de Natal vivem em cárcere privado

Por fatorrrh_6w8z3t

De todos os casos que chegam, por semana, ao Juizado Especial da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Natal, uma preocupante realidade vem sendo exposta na unidade: são os registros de mulheres que conseguem denunciar a situação de cárcere privado em que eram mantidas.

Uma porcentagem mínima, mas que não revela o cenário real do problema, segundo a própria titular da unidade judicial, a juíza Maria Socorro Pinto.

“Não chega a 5%, mas é uma situação de extrema preocupação”, desabafa a magistrada, ao ressaltar que esse percentual é obtido dentro dos 40 casos por semana contabilizados no Juizado.

De acordo com Socorro Pinto, o alerta se justifica no fato de que essa porcentagem representa somente a parcela daquelas mulheres que conseguem escapar desta situação e chegar a uma delegacia ou a uma unidade judicial.

“Elas chegam em péssimas condições emocionais”, revela a juíza, que já teve que abrigar uma das vítimas em sua própria residência.

“Ela não tinha onde ficar e, excepcionalmente, tivemos que fazer isso”.

Deu no Portal do TJ/RN

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista