Emprego 25/05/2022 08:54

Patrimônio da União quer fechar barracas de Tourinhos. Além de renda e empregos, São Miguel do Gostoso perde atração de sua praia mais bonita

Nesta terça-feira, durante reunião com o prefeito de São Miguel do Gostoso, Renato de Doquinha, a governadora Fátima Bezerra lamentou a ordem para o fechamento das barracas. “Um absurdo fazerem isso desta forma autoritária. Tinham que ter conversado com o prefeito, com a Câmara e com os barraqueiros”, disse.

Por Emanuel Neri

A quem interessa o fechamento das barracas de Tourinhos, em São Miguel do Gostoso?

Responsáveis pelo emprego de centenas de pessoas e pelo sustento de inúmeras famílias, as barracas de Tourinhos receberam, na semana passada, notificação da Secretaria do Patrimônio da União (SPU) para encerrar suas atividades. Aos barraqueiros, não foi dada nenhuma oportunidade para regularizarem suas barracas.

A decisão da SPU , um órgão do governo federal, surpreendeu não só os barraqueiros como a milhares de turistas que, todos os anos, frequentam aquela praia. Tourinhos é considerado o principal cartão postal de São Miguel do Gostoso e é apontada como uma das praias mais bonitas do Brasil.

Não é novidade que as barracas de Tourinhos precisam ser regulamentadas. Mas esta é uma tarefa que cabe à Prefeitura local, além de órgãos como a SPU, Idema e Ministério Público. Da forma como foi feita, a ordem para fechamento das barracas é uma violência contra as pessoas que dependem daqueles espaços para viverem.

Foi grande a repercussão à decisão da SPU tanto em São Miguel do Gostoso como no Rio Grande do Norte. Veículos de imprensa também deverão repercutir esta radical medida, que põe em risco a sobrevivência de barraqueiros e de centenas de pessoas que trabalham para aquele tipo de comércio.

Enquanto os barraqueiros tentam resistir, organizando abaixo-assinado para encaminhar às autoridades, Prefeitura e Câmara Municipal do município se mobilizam para ver como enfrentar a situação. A presidência da Câmara tenta marcar reunião com a SPU para encontrar uma solução para não fechar as barracas.

Nesta terça-feira, durante reunião com o prefeito de São Miguel do Gostoso, Renato de Doquinha, a governadora Fátima Bezerra lamentou a ordem para o fechamento das barracas. “Um absurdo fazerem isso desta forma autoritária. Tinham que ter conversado com o prefeito, com a Câmara e com os barraqueiros”, disse.

“As soluções existem e precisam ser encontradas com diálogo, preservando a geração de emprego e renda das famílias dos comerciantes”, afirmou Fátima Bezerra. A governadora também se colocou à disposição para colaborar com uma solução que traga de volta a paz e a alegria para as barracas de Tourinhos.

Se a SPU insistir na ordem de fechamento, não só barraqueiros e seus empregados perderão renda e empregos. São Miguel do Gostoso também será prejudicado enormemente. Tourinhos é o local de  maior atração da cidade e, sem suas barracas, o turismo local vai perder uma de suas principais atrações.

Cabem às autoridades locais procurarem imediatamente soluções para este sério problema.

As barracas de Tourinhos precisam continuar funcionando dentro de regras de respeito ao meio ambiente, princípios de higiene, além de obedecer os limites de espaços para que elas possam funcionar sem ferir a lei. Cabe à Prefeitura a maior responsabilidade por achar uma solução para evitar o colapso daquela bela praia.

Esta coluna tentou falar com Fernando Castro, funcionário da Prefeitura local e responsável pela gestão da orla em São Miguel do Gostoso. Este espaço está à sua disposição para que ele fale dos motivos pelos quais a SPU quer fechar as barracas do Tourinhos, sem sequer sugerir algum tipo de regulamentação para seu funcionamento.

Deu no Balacobaco

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista