Vacina 04/08/2021 18:00

Vai viajar? Saiba como tirar o Certificado Nacional de Vacinação

Documento digital é emitido pelo Ministério da Saúde e comprova o ciclo vacinal completo contra a Covid-19

A Finlândia, a Suíça, Ilha Bahamas, o Canadá e o Marrocos são alguns dos destinos que abriram recentemente suas fronteiras a brasileiros e pedem, dentre outras exigências, um comprovante vacinal completo. Mas você sabe o que é exatamente esse certificado e como obtê-lo?

O Certificado Nacional de Vacinação é um documento emitido pelo Ministério da Saúde que comprova a vacinação completa contra a Covid-19 de cada cidadão.

A declaração pode ser obtida por qualquer pessoa através do site ou do aplicativo do Conecte SUS Cidadão.

Ela é uma comprovação legal de conclusão do esquema vacinal e pode ser utilizada pelos turistas que planejam viajar tanto dentro do território nacional quanto a países que já abriram suas fronteiras para brasileiros, mas pedem um comprovante de vacinação.

As informações são da Agência Brasil e do Governo.

O certificado não tem validade internacional. Fica sob decisão de cada país decidir se aceita ou não o documento.

O recomendado é que o viajante consulte a embaixada de seu destino e conheça suas normas de ingresso.

Ao menos 1,8 milhão de brasileiros já emitiram o seu, de acordo com dados analisados pela CNN com base da International Air Transport Association.

O site do Governo brasileiro detalha o passo a passo para a emissão: uma vez no aplicativo ou no site do Conecte SUS Cidadão, busque o ícone ‘vacina’ no menu >> clique >> veja as doses administradas, abra o detalhamento das doses e clique no botão emissão do certificado. Após 1 minuto, o turista poderá visualizar, salvar e imprimir o seu certificado.

O serviço é gratuito.

O documento poderá ser emitido nos idiomas português, inglês e espanhol e apresenta informações como dados cadastrais do vacinado (nome, data de nascimento, sexo, CPF), data e horário da emissão, dados de autenticação do certificado, e informações sobre as doses de vacinas administradas (data de aplicação, instituição responsável pela fabricação ou importação da vacina, nome da vacina, descrição da dose, lote e estabelecimento de saúde.

No momento, este documento é válido somente em território nacional e tem validade de doze meses a partir da data de emissão, de acordo com o site governo.

Deu em CNN

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista