Emprego 07/04/2021 06:56

Sindicatos pedem que Governo tenha atenção com demitidos durante a pandemia e sugere auxílios

Em ofício enviado à governadora, o Sindebarnat pede “a suspensão imediata da cobrança das tarifas de água e energia elétrica, auxílio aluguel de R$ 600, que poderá ser usado para pagamento de prestações da casa própria  financiada   pelo  programa Minha Casa Minha Vida, fornecimento de cestas básicas  que  satisfaça a necessidade de uma família de até  cinco pessoas ou inclusão  dos trabalhadores  no programa  Renda família com cartão  alimentação”.

Diante do quadro de dificuldades para os trabalhadores dos setores de hospedagem, alimentação e eventos, os presidentes dos Sindicatos de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN), Habib Chalita; Empregados no Comércio de Restaurantes e Bares de Natal (Sindebarnat-RN), Flávio Teotônio; e dos trabalhadores em Bares e atividades similares do Rio Grande do Norte (SINTBARN), José Lemos, pediram que a governadora Fátima Bezerra disponibilize auxílios para as famílias que tiram seu sustento trabalhando nesses segmentos e há um ano estão desempregadas em situação crítica para garantir o sustento.

Para eles, milhares de famílias foram afetadas com a pandemia e “isso só piorou com os decretos que restringiram muito o trabalho fazendo com que muitas demissões acontecessem sem falar nos comércios que fecharam”.

Em ofício enviado à governadora, o Sindebarnat pede “a suspensão imediata da cobrança das tarifas de água e energia elétrica, auxílio aluguel de R$ 600, que poderá ser usado para pagamento de prestações da casa própria  financiada   pelo  programa Minha Casa Minha Vida, fornecimento de cestas básicas  que  satisfaça a necessidade de uma família de até  cinco pessoas ou inclusão  dos trabalhadores  no programa  Renda família com cartão  alimentação”.

No documento, é prevista a duração dos benefícios “por um período de seis meses”.

Habib lembra que a cada dia que passa a situação tem se agravado mais e ressalta a necessidade de uma “atitude concreta por parte do Governo”.

“Temos participado de muitas reuniões, sabemos que existem dificuldades, mas é preciso olhar por aqueles que contribuem para a economia do estado”, afirmou.

Fonte: Assessoria

Ricardo Rosado de Holanda


Descrição Jornalista