Brasil 11/06/2020 06:34

Brasil tem deflação pelo segundo mês consecutivo, diz o IBGE

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio foi de -0,38%, enquanto a taxa registrada em abril foi de -0,31%.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio foi de
-0,38%, enquanto a taxa registrada em abril foi de -0,31%.

Essa é a menor variação mensal desde agosto de 1998 (-0,51%).

No ano, o IPCA acumula queda de 0,16% e, nos últimos doze meses, alta de 1,88%, abaixo dos 2,40% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2019, a taxa havia ficado em 0,13%.

Período Taxa
Maio de 2020 -0,38%
Abril de 2020 -0,31%
Maio de 2019 0,13%
Acumulado no ano -0,16%
Acumulado nos 12 meses 1,88%

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, cinco tiveram deflação em maio. O maior impacto negativo do mês, -0,38 ponto percentual (p.p.), veio dos Transportes, cuja queda de 1,90% foi menos intensa que a de abril (-2,66%).

Outros destaques foram Vestuário e Habitação, que recuaram 0,58% e 0,25% respectivamente. No lado das altas, Artigos de residência subiu 0,58% ante o recuo do mês anterior (-1,37%). Alimentação e bebidas (0,24%) desacelerou em relação a abril (1,79%).

Os demais ficaram entre a queda de 0,10% em Saúde e cuidados pessoais e a alta de 0,24% em Comunicação.

Grupo Variação (%) Impacto (p.p.)
Abril Maio Abril Maio
Índice Geral -0,31 -0,38 -0,31 -0,38
Alimentação e Bebidas 1,79 0,24 0,35 0,05
Habitação -0,10 -0,25 -0,02 -0,04
Artigos de Residência -1,37 0,58 -0,05 0,02
Vestuário 0,10 -0,58 0,00 -0,03
Transportes -2,66 -1,90 -0,54 -0,38
Saúde e Cuidados Pessoais -0,22 -0,10 -0,03 -0,01
Despesas Pessoais -0,14 -0,04 -0,01 0,00
Educação 0,00 0,02 0,00 0,00
Comunicação -0,20 0,24 -0,01 0,01
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços  

Assim como em abril, o resultado do grupo Transportes (-1,90%) foi influenciado pela variação nos preços dos combustíveis (-4,56%).

O maior impacto sobre o índice do mês foi negativo (-0,20 p.p.) e veio, novamente, da gasolina (-4,35%), cuja queda foi menos intensa que a registrada em abril (-9,31%).

etanol seguiu o mesmo movimento, com variação de -5,96% em maio frente aos -13,51% de abril, enquanto o óleo diesel (-6,44%) apresentou resultado próximo ao do mês passado (-6,09%), com impacto de -0,01 p.p.

Deu no Portal do IBGE

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista