Política 03/11/2017 11:47

"O PT deve permitir aliança com partidos que apoiaram o golpe”

Trecho da entrevista de Luiz Marinho, Presidente do PT paulista:

Trecho da entrevista de Luiz Marinho, Presidente do PT paulista:
Está havendo uma reaproximação do PT com o PMDB? O PT voltou ao governo do Renan Filho (PMDB) em Alagoas. 
Depende da movimentação do lado de lá. O PMDB nunca foi um partido nacional, sempre foi uma federação de caciques nos Estados. Então vai depender do posicionamento do partido em cada Estado. Mas não enxergo qualquer possibilidade de aliança com o PMDB em São Paulo porque o Michel Temer é de São Paulo. Agora, em alguns Estados, eventualmente pode acontecer.
Mas isso contraria uma decisão do Diretório Nacional do PT. 
Seguramente o diretório vai revisitar esse tema e vai saber trabalhar a complexidade momentânea da política brasileira. Reposicionamentos eventuais podem acontecer, mas não vai ser um “liberou geral”. Mas o PT deve permitir aliança com partidos que apoiaram o “golpe”.
Lula disse que o eleitorado de Dilma se sentiu traído pelas mudanças na política econômica. O senhor concorda com isso?
É um sentimento. Sentimento não se muda. O sentimento do eleitorado realmente foi esse. Em 2014 já tinha muita gente reclamando da Dilma, depois com a história do Joaquim Levy ministro (da Fazenda) de fato se colocou dessa forma.
O PT errou ao não insistir para que Lula fosse o candidato em 2014?
O PT insistiu. Lula é que não autorizou porque achava que era um direito legítimo da Dilma reivindicar a reeleição e porque não era um movimento fácil também. Já vimos outros movimentos assim que não deram certo. A partir do momento em que a Dilma reivindicou a vaga o movimento acabou sendo contido. Mas isso não tem volta.
Qual a possibilidade de o nome de Lula estar na urna em 2018? 
Noventa e nove ponto nove por cento.
O que dá tanta certeza?
As circunstâncias do processo. Delação premiada não serve para condenar. É uma sentença fadada a ser revisada. Dizer que os tribunais superiores vão confirmar uma sentença dessas é chamar todo o Judiciário brasileiro de esdrúxulo.
Deu no Estadão

Ricardo Rosado de Holanda



-

Descrição Jornalista

mais lidas