Sem categoria 17/10/2017 08:59

Superavit da balança comercial atinge U$ 53,3 bilhões em setembro

O volume de exportações cresceu 15,1% em setembro, enquanto o volume importado aumentou 18%, na comparação com o mesmo mês de 2016, segundo os dados do Indicador do Comércio Exterior – Icomex, divulgado nesta terça-feira (17) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O volume de exportações cresceu 15,1% em setembro, enquanto o volume importado aumentou 18%, na comparação com o mesmo mês de 2016, segundo os dados do Indicador do Comércio Exterior – Icomex, divulgado nesta terça-feira (17) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).
O novo índice entrou no calendário mensal da FGV este ano.
O objetivo é contribuir para a avaliação do nível de atividade econômica do País, por meio da análise mais aprofundada dos resultados das importações e exportações.
Entre as exportações, houve um salto de 94,5% no setor de agropecuária, superando as variações registradas nos meses anteriores.
Os preços das exportações aumentaram 2,7% em setembro, com a contribuição do encarecimento de algumas commodities, em especial o minério de ferro.
Nas importações, o destaque foi o desempenho dos bens de capital, com um aumento de 71,5% no volume importado em setembro Os preços das importações recuaram 3,5% em setembro ante o mesmo mês do ano passado.
O superávit da balança comercial acumulado no ano até setembro foi de US$ 53,3 bilhões, o que supera o recorde anterior de US$ 48 bilhões registrado para o ano de 2016.
“Contribui para esse superávit, a recuperação dos preços das commodities iniciada em 2016 e o crescimento do comércio mundial em 2017”, apontou Lia Valls, pesquisadora do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.
A pesquisadora pondera, porém, que deve haver redução no superávit comercial no próximo ano, levando em consideração a projeção do Fundo Monetário Internacional de que os preços das commodities vão desacelerar em 2018 e a perspectiva de um crescimento do Produto Interno Bruto brasileiro entre 2,5% e 3% no próximo ano, o que levaria a um aumento das importações no País.
Deu na Agência Estado

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista