Uncategorized 04/07/2021 12:24

Os segredos que as companhias aéreas escondem dos passageiros

Por questões de conforto e para evitar pânico entre os viajantes, empresas aéreas preferem ocultar alguns detalhes das operações de voo

Em nome do conforto dos passageiros e sobretudo para evitar pânico a bordo dos aviões, as companhias aéreas abafam alguns detalhes de suas operações cotidianas.

Não chegam a ser segredos propriamente ditos, pois são dados descritos em manuais e regulamentos aeronáuticos, mas são informações que as empresas do setor preferem manter sem muita divulgação.

Você sabia, por exemplo, que existem machados escondidos pela cabine dos aviões? Ou então, que os comissários de bordo recebem treinamento de defesa pessoal para lidar com eventuais passageiros agressivos? São detalhes que podem parecer polêmicos, mas são fundamentais para manter a segurança dos voos.

Conheça a seguir alguns dos principais “segredos” das companhias aéreas:

Alarme de incêndio discreto

Em caso de incêndio no banheiro do avião, em vez de tocar uma sirene barulhenta, o que se ouve na cabine é um discreto alarme que os passageiros podem nem perceber. E o objetivo é justamente esse. Os tripulantes, por outro lado, sabem muito bem o que se passa quando o alerta é acionado. O alarme discreto serve para evitar pânico entre os passageiros durante o voo, situação que pode dificultar ainda mais o combate ao incêndio no avião.

Comandante é a autoridade máxima na aeronave

No momento em que as portas de um avião comercial são fechadas, a autoridade máxima a bordo passa a ser o comandante, mesmo que entre os passageiros estejam um juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) ou policiais de alta patente.

O comandante pode ordenar a prisão de passageiros, a retirada de cargas potencialmente perigosas, aplicar multas e até registrar o testamento de um passageiro que falecer durante um voo. No caso de alguma indisposição com o piloto principal, a autoridade é transferida ao co-piloto.

Segundo o Código Brasileiro de Aeronáutica, a autoridade do comandante em voo é determinada pelo proprietário da aeronave ou explorador do serviço de transporte, no caso a companhia aérea.

Comissário de bordo treinam defesa pessoal

O trabalho dos comissários de bordo não se limita a apenas servir refeições aos passageiros ou realizar orientações nos voos. Esses profissionais também são chamados de “técnicos de segurança de voo”, pois cabe a eles manter a ordem e a segurança na cabine do avião.

Para lidar com passageiros indisciplinados, comissários de bordo recebem aulas de defesa pessoal. A técnica mais praticada entre os tripulantes de cabine é o Krav Maga, estilo de combate corpo a corpo de ação rápida e preventiva.

Depois de contido, o ocupante descontrolado pode ser algemado (sim, há algemas a bordo dos aviões) e permanecer amarrado no assento até o fim da viagem. Em casos mais graves, quando a situação representa um risco real a segurança do voo, os pilotos podem ser obrigados a realizar um pouso em aeroporto não previsto para entregar o passageiro desobediente às autoridades.

Machados na cabine

Quem viaja de avião nem imagina que sobre sua cabeça, no compartimento de bagagem, pode estar guardado um machado. A ferramenta com lâmina afiada pode ser usada no combate a incêndios na cabine ou para arrombar a porta do banheiro, caso algum passageiro tente bloquear a passagem.

Turboélices e jatos comerciais de pequeno e médio porte levam pelo menos um machado a bordo, enquanto aeronaves de grande porte podem ter até três dessas ferramentas escondidas na cabine.

O real motivo das luzes da cabine serem reduzidas

Ainda existem empresas aéreas que teimam em afirmar que as luzes da cabine do avião são reduzidas durante o pouso “para economizar energia”. Isso está longe de ser verdade.

Turboélices e jatos comerciais de pequeno e médio porte levam pelo menos um machado a bordo, enquanto aeronaves de grande porte podem ter até três dessas ferramentas escondidas na cabine.

O real motivo das luzes da cabine serem reduzidas

Ainda existem empresas aéreas que teimam em afirmar que as luzes da cabine do avião são reduzidas durante o pouso “para economizar energia”. Isso está longe de ser verdade.

Esse procedimento ocorre somente em voos noturnos e serve de preparação para uma eventual evacuação dos passageiros. Quando as luzes são suavizadas, os olhos dos passageiros se adaptam a baixa luminosidade. Com a visão ajustada, os ocupantes conseguem enxergar melhor no escuro e encontram mais rápido as saídas de emergência pela cabine.

Toaletes podem ser destravados pelo lado de fora

Sabia que a porta dos banheiros dos aviões pode ser destravada facilmente pelo lado de fora? E nem precisa fazer força ou usar alguma ferramenta. Uma pequena placa de metal acima do aviso de disponibilidade do banheiro esconde uma trava de acionamento simples.

O recurso serve para retirar passageiros que causem algum problema no banheiro, normalmente pessoas assustadas em situações de emergências ou viajantes indisciplinados, como fumantes ou até casais que buscam, digamos, experiências diferentes e acabam prejudicando quem precisa usar, de fato, o banheiro.

Como medida de segurança, as portas de todos os banheiros na cabine do avião são travadas pelo lado de fora antes de cada pouso. Isso evita que passageiros em pânico entrem no banheiro no caso de uma emergência na aterrissagem.

Deu no CNN

Ricardo Rosado de Holanda



Descrição Jornalista